Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 5)

por baixinho, em 24.09.22

Vamos lá despachar mais cinco peças, lembrando sempre que a análise tem em conta a minha perspectiva do hobby. Links para as partes anteriores no fim do artigo!

 

White Tile 1 x 2 with Groove

É sempre bom ter um lote de tiles lá em casa já que são uma excelente forma de tornar as construções mais “limpas”. Limpas de studs que muitas vezes apenas criam ruído nas construções tornando-as inestéticas. Portanto, podemos utilizá-las nos cascos das naves espaciais, nos interiores de casas (cuidado para não exagerar no branco senão fica tudo a parecer quartos de banho), viradas de lado nas paredes podem parecer tijolos ou azulejos, como linhas brancas nas estradas ou outro tipos de marcações e como espuma de água no mar ou em rios entre muitas outras situações.

Esta peça tem a minha idade (1973) e vou ser sincero, pensava que era mais velha. Exactamente o contrário do que as pessoas pensam de mim. Acho eu :D. Nesta cor já apareceu em 1098 conjuntos!!! E se julgam que nos dias de hoje já não é tão comum, desenganem-se já que em 2022 já apareceu em 68 sets

Portanto é uma peça que se torna facilmente útil e fácil de utilizar, no entanto é extremamente comum e não acrescenta muito à parede do Pick & Build.

2 em 3 estrelas

 

White Tile 1 x 4

Esta peça é bem mais recente do que a sua irmã mais pequena que falei acima. Fiquei mesmo surpreso ao saber que apareceu apenas em 1987 (portanto, não brinquei com nenhuma quando era miúdo). Em branco apareceu pela primeira vez nesse mesmo ano e desde aí em quase 700 sets

À semelhança da sua irmã mais pequena mas bem mais velha, é uma peça com uma versatilidade interessante e que pode ser utilizada em variadíssimas situações. A cor branca é, na maior parte das vezes, uma cor que é facilmente encaixável.

Em tudo semelhante à anterior, talvez com um pouco menos de versatilidade.

2 em 3 estrelas

 

Bright Light Orange Plate, Round 4 x 4 with Hole

Ao dar a minha primeira vista de olhos na parede, foi aquela que me fez logo indagar: “mas para que raios quereria esta peça?”.

Para o Submarino Amarelo, claro.

Fui dar uma vista de olhos aos 14 sets em que saiu (desde 2015) e na grande maior parte das vezes é ornamental e em esquema de cores que, sinceramente, para mim deviam ser diferentes. 

A Plate Round 4x4 surgiu em 2008 e esta versão, como disse acima, em 2015. Apesar de ser relativamente incomum, é uma peça cuja utilização pede situações específicas e que nesta cor ainda afunila mais a sua utilidade.

1 em 3 estrelas

 

Light Bluish Gray Brick, Modified 1 x 2 with Masonry Profile

Esta peça está no seu 10º aniversário e logo no seu primeiro ano de existência teve a iteração nesta cor. Já apareceu em 143 sets e, surpreendentemente, apenas é ultrapassada pela versão em Medium Nougat.

Sendo assim é relativamente comum mas também a sua utilização é relativamente comum. Facilmente dá para utilizar em edifícios e outras estruturas para mostrar que foi construída sem rebocar ou para mostrar sinais de envelhecimento. O lado com apenas uma estria é muitas vezes ignorado apesar do seu potencial para criar certos padrões que podem parecer, por exemplo, com casas de madeira. Experimentem em SNOT e irão ficar admirados com o efeito criado.

Pessoalmente é uma peça que gosto de ter em alguma quantidade, já que quando se começa a utilizar, facilmente desaparecem largas dezenas. Apesar desta não ser a minha cor preferida desta peça (prefiro a dark tan), é provavelmente a mais fácil de utilizar já que o cinzento é uma cor bastante comum.

3 em 3 estrelas

 

Tan Brick, Modified 1 x 4 with Masonry Profile

Uma das peças mais incomuns da parede de Lisboa e apenas o soube por causa deste artigo. A peça é de 2014, mas a versão nesta cor aparece a partir de 2018 em apenas 6 sets (não vou contar com o semi oficial do Bricklink). Metade deles são sets ultracaros (mais de 250 euros) e portanto não são propriamente uma boa escolha para fazer stock de peças.

Ao ter o dobro do tamanho da anterior faz com que tenha as suas vantagens e desvantagens. Como principal vantagem, é que a sua utilização em grandes superfícies fazem diminuir as falhas entre peças e assim tornar os efeito dos tijolos (ou estrias) mais realista. Por outro lado, ao ser maior, diminui a sua versatilidade.

Adoro a peça, adoro a cor e mal tenha oportunidade, vou trazer mais algumas que acho que ainda tenho poucas.

3 em 3 estrelas

 

Eu sei que esta série de artigos está algo lenta, mas a disponibilidade não tem sido a desejada. Durante esta semana conto ir novamente à loja e aí terei oportunidade de rever a parede e assim actualizar a minha lista.

 

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 1)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 2)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 3)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 4)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:57

Winter Village volta a crescer

por baixinho, em 22.09.22

Como tem sido hábito nos últimos anos, a LEGO lança um novo conjunto da linha Winter Village que vão fazer as delícias dos fãs do tema. Apenas tenho dois conjuntos da série, gosto de ambos, mas não tenciono comprar mais já que não é propriamente um tema que me cative.

Além de não haver espaço para tudo.

Mas antes de dar a minha opinião sobre este conjunto em especial, fica aqui o habitual press release.

GET INTO THE CHRISTMAS SPIRIT WITH THE
LEGO HOLIDAY MAIN STREET SET

Continue your Winter Village story with the new LEGO® Holiday Main Street set, festive downtown trolley and dappled with LEGO snow, making it the perfect gift for the family this Christmas.

Gather the family together and fill the room with holiday spirit as you create this highly detailed set. The LEGO Holiday Main Street includes two festive shops (with homes on the top floor), which are open-back to allow for easy access to the fun. The set also comes with four instruction booklets, making it perfect for building together. 

This cosy build is packed with a host of exciting features, including a Christmas tree, a trolley car and a host of minifigures and gifts, perfect for getting younger members of the family involved.

LEGO Creative Lead Jamie Berard commented “The annual LEGO Winter Village sets are one of my all-time favorite holiday traditions.  The Holiday Main Street brings together a whole downtown of activity and imagination into one set.  Building as an individual or as a family, you’ll discover a model with all the hustle and bustle of a festive shopping street – complete with trolley, snow topped shops and children posting letters. I especially like the brick-built toys in the toy shop and the super-cute mini-Christmas tree in the upper apartment.  They just make me smile.”

The LEGO Holiday Main Street set is available from 1st October 2022 via LEGO Stores and www.lego.com/Main-Street priced at $/€99.99/£89.99.

FURTHER PRODUCT INFO: LEGO® HOLIDAY MAIN STREET SET (SKU: 10308)

·       Age – 18+

·       The streetcar measures:

o   4in / 10cm (height)

o   6.5in / 17cm (width)

o   2.5in / 7cm (length)

·       1,514 pieces

·       Price: $99.99/€99.99/£89.99/169.99 AUD/129.99 CAD

·       Key functions and features include:

o   Two buildings, with studded roofs and snowfall

o   One trolley car (which is ready for Powered Up app integration)

o   A Christmas tree

Sabendo agora alguns detalhes do conjunto, apraz-me dizer que acho visualmente interessante com prédios relativamente sóbrios, com cores fantásticas, interiores recheados, mas que penso que sejam algo pobres em termos de técnicas de construção. O mesmo se passa com o eléctrico, já que me parece bastante querido, mas que depois de olhar com atenção, não há ali muito em termos de construção. Por outro lado, a nível de peças adoro praticamente tudo o que olho. Peças básicas em cores interessantes, muitas janelas, acessórios espectáculares, etc, isto tudo com um PPP muito bom. Cinco estrelas para as minifigs também, já que apesarem de estarem bem agasalhadas, podem ser utilizadas em contextos realistas.

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:03

Terça-feira do Ideas: Tintin - Space Rocket

por baixinho, em 20.09.22

Aventureiro (acho que a profissão é jornalista, mas nunca o vi a exercer) por excelência do século XX, o Tintim é incontornável na cultura europeia. É exactamente esse o ponto que me faz olhar ainda com mais atenção para este projecto do nosso Alexis "tkel86" Santos já que sinto que a LEGO deveria, por vezes, reforçar a cultura do seu continente de origem.

Como é hábito nos trabalhos do Alexis, a qualidade é irreprensível tanto na proporcionalidade dos objectos como na utilização das melhores técnicas de construção. Apesar de uma torre maçuda mas fiel ao original, a elegância do foguetão é simplesmente bestial e magnética ao olhar. Aposto que os designers da LEGO teriam algum trabalho a melhorar estas linhas.

Neste momento este projecto tem 1 926 apoiantes e ainda tem 570 dias para chegar aos 10 000. Aqui ficam as minhas previsões:

Chegará aos 10 000 apoiantes?

Quero acreditar que sim. Um quinto do caminho já foi percorrido em pouco mais de um mês, mas falta a fase entre os três e cinco mil apoiantes, que é onde muitos projectos caem no esquecimento. Cabe ao Alexis e quem gosta do projecto em tentar manter viva a chama para chegar à meta.

Se chegar aos 10 000 apoiantes, a LEGO irá torná-lo num set oficial?

Espero que algum designer olhe com carinho para esta proposta e avance com o projecto. Apenas quatro Ideas são baseados em licenças com origem na Europa e este seria um excelente quinto nesta curta lista!

A ser um set oficial, entraria na minha wishlist?

Claro que sim e o Alexis não escaparia ao autógrafo!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:12

O Peregrino

por baixinho, em 19.09.22

The PilgrimO Peregrino é o título que o Joe (jnj_bricks) deu a esta belíssima construção onde são vários os detalhes que me captam a atenção. Gosto particularmente das áreas bem definidas do terreno, das árvores (e sim, da cor das folhas), do caminho algo íngreme, da vegetação, das figuras e da igreja que se consegue destacar do terreno apesar de utilizar parcialmente a mesma cor. Resulta num todo bem atraente e sem recorrer a técnicas de construção assim tão esotéricas.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:31

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 4)

por baixinho, em 18.09.22

Opening Day of the first LEGO certified store in Portugal

Mais cinco peças nesta tarefa que, espero eu, se torne interminável. Sim, porque isso quer dizer que as peças vão sendo renovadas. Humm, mas será que simplesmente renovam aquelas que se esgotam mais rápido e que portanto serão as mais atraentes?

De qualquer forma, sugiro sempre a visita ao grupo de Facebook dedicado ao tema (link aqui), já que há utilizadores, por exemplo o exaustivo Nuno Taborda, que vão colocando imagens dos recipientes. Atenção, há sempre a possibilidade das peças que eu analiso já não estarem disponíveis na loja!

Segue-se então a análise que, como gosto de frisar, segue a minha perspectiva do hobby!

 

Medium Nougat Brick 1 x 2

Bricks em cores pastéis ou quentes são sempre um ponto fraco para mim. Aliás, um dos meus MOCs que mais me deu gosto em fazer, utiliza estes tons em abundância, inclusive esta peça em particular. Portanto pegar um punhado destas peças foi um acto automático.

O brick 1x2 é uma peça com mais de 60 anos de idade que, segundo o Bricklink, aparece em mais de 5300 sets!! Nesta cor em especial aparece em 121 o que faz dela relativamente comum. Começou a aparecer em 2010, nomeadamente em sets do tema Prince of Persia que, curiosamente, localiza perfeitamente o ambiente onde esta cor pode ser utilizada de forma excelente. Claro que a sua utilização não se limita aí, já que facilmente a podemos transportar para um ambiente citadino, rural, medieval ou até nos mares das Caraíbas. Em conjunto com outras cores como o dark-orange e o dark-tan, também fica perfeito na representação da superfície marciana ou de outro ambiente extraterrestre.

Portanto, uma peça comum mas de fácil utilização e que pode facilitar o ambiente para certas construções.

3 em 3 estrelas

 

Medium Nougat Plate 1 x 2

Curiosamente, esta peça estava no mesmo recipiente da anterior. Se por um lado até acho que a opção é lógica, por outro trazia alguns problemas já que, no caso de queremos apenas plates, elas eram difíceis de apanhar. Quando livrei o conteúdo dos dois copos que comprei, deu para perceber que ao agarrar peças deste recipiente, inadvertidamente fiquei com mais bricks do que plates. À semelhança da peça anterior, a sua utilização é facilitada não só pela forma, como pela cor. Arrisco a dizer que até pode ser muito mais utilizada já que a sua menor dimensão pode levá-la para outro tipo de construções como veículos.

Segundo o Bricklink esta peça faz sessenta anos no próximo ano e nesta cor surgiu apenas em 2018. Sim, bem mais tarde do que a sua irmã triplamente maior. Desde aí já apareceu em 93 conjuntos o que a torna bastante vulgar.

É uma peça muito fácil de utilizar numa das minhas cores preferidas.

3 em 3 estrelas

 

Bright Green Plant Leaves 6 x 5

Se esta peça (qualquer que seja a cor) é agora considerada relativamente comum, eu sou do tempo em que ter um bom punhado delas era algo difícil. Lembro-me perfeitamente que bastava fazer duas ou três árvores mais frondosas para limpar o meu stock de folhas. Claro que depois apareceu o Bricklink que começou a facilitar o acesso a esta peça e há pouco mais de 10 anos atrás o LUGBulk onde, nas primeiras edições, esta peça estava sempre no top. Eu também tive a sorte de me terem oferecido umas centenas num projecto que fiz na LEGO, o que conseguiu manter o meu stock mais ou menos firme até aos dias de hoje. Não sei é se aguenta muitos mais projectos e por isso trouxe algumas unidades desta peça que é praticamente obrigatória sempre que se introduz um arvoredo ou até noutras situações como fiz aqui e aqui.

A peça é originária dos anos de ouro da LEGO (1987) e nesta cor aparece em 2000. Primeiro de forma muito tímida já que aparecia em apenas um, dois ou até nenhum por ano e depois com o tempo foi-se tornando cada vez mais regular estando, neste momento, registrada em 74 conjuntos no Bricklink. 

Peça praticamente obrigatória quando queremos fazer árvores, vale a pena ter sempre um bom stock em casa.

3 em 3 estrelas

 

Dark Tan Tile, Round 2 x 2 with Open Stud

Esta peça é relativamente recente (2015) e nesta cor surge dois anos depois, primeiro em apenas um set, mas depois gradualmente em cada vez mais sets. Para terem uma ideia, neste ano já são 18 o que a torna relativamente fácil de conseguir.

Pessoalmente não me lembro se alguma a vez a utilizei, mas imagino-a facilmente na superfície de caminhos (aquele stud é excelente para encaixar um pé de uma figura), para ajudar a fazer padrões nos chãos de edifícios, como elemento ornamental em fachadas de edifícios de vários estilos e, em conjunto com a tile round 2x2 with hole, inverter o sentido da construção num espaço de apenas duas plates de altura. Se julgam que esta técnica não é muito ortodoxa, a própria LEGO já a utilizou.

No entanto, não vejo razões para ter uma quantidade apreciável em stock.

1 em 3 estrelas

 

Tan Brick 2 x 6

Bricks 1x? ou 2x? dão sempre um jeitaço na altura de construir algo grande. Seja para fazer paredes, muralhas, cascos de naves ou navios e até para simplesmente encher. O 2x6 é uma peça que apareceu em 1990 e em tan em 2001. Desde aí já marcou presença em 128 conjuntos diferentes o que a torna relativamente vulgar.

Apesar de ser uma peça extremamente útil, por norma aprecio mais a utilização da comum 2x4 já que a vejo como mais versátil. No entanto esta cor é interessantíssima e sei que rapidamente vou esgotar a pouca quantidade que trouxe se um dia construir um MOC que precise disto.

Peça útil tanto na cor como na forma e que quando faltam as 2x4, é uma boa substituta.

2 em 3 estrelas

 

Fica aqui a quarta parte desta série de artigos. Provavelmente irei tornar esta rubrica semanal para assim poder planear melhor as peças a analisar!


Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 1)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 2)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 3)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:32

Review: LEGO 21336 The Office

por baixinho, em 17.09.22

21336 The Office (01)

Tema: Ideas

Ano de Edição: 2022

Número de Peças/Minifigs: 1154/15

Preço LEGO®: 120€

Link Brickset: https://brickset.com/sets/21336-1/The-Office

 

Aqui temos o 44º Ideas que, curiosamente, é o quarto a representar um sitcom no tema. Depois de ter visto e adorado o Seinfeld há uns meses atrás (yeps, uma falha minha que já devia ter colmatado há mais tempo), sugeriram-me ver o The Office e…, não consegui encaixar. Ok, vi apenas 3 episódios e até lhe reconheci alguma qualidade e piada. Mas aqueles cortes para os personagens fazerem comentários são para mim intragáveis, não fazem mesmo o meu estilo. Não sei se a série continua nesse estilo, mas simplesmente não me puxou mais e foi entretanto ultrapassada por outras séries. Neste momento há tantas séries que ao fazem clique logo no início ou passam para o fim da lista.

21336 The Office (02)

Portanto quando recebi este set para análise, o sentimento estava entre o “poderia ser algo com que me identificasse mais” e o entusiasmo habitual de ter um set LEGO nas mãos. Antes de abrir a caixa fui dar uma vista de olhos ao projecto original e descobri que o autor submeteu o The Office três vezes e todos eles obtiveram os 10 000 apoiantes para chegarem à fase de análise!! Ainda por cima o autor tem como nick super original “Lego The Office” (introduzir aqui emoticon a revirar os olhos). O primeiro projecto é de 2015, era enorme e, sinceramente, fraquinho e foi, previsivelmente, recusado. O segundo de 2019 já era um pouco melhor, mas mesmo assim enorme e também foi recusado. O terceiro e último é de 2020 e foi finalmente aprovado, no entanto, também não o acho grandemente interessante em termos de técnicas de construção ou efeito global. Aliás, basta uma olhada para a caixa para perceber que os designers envolvidos além de terem reduzido a dimensão do escritório, também melhoram imenso vários componentes do original. Aquelas estantes e secretárias eram, vou ser simpático, naives.

21336 The Office (13)

A embalagem (wow, não disse caixa) contém 10 sacos numerados de peças, um livro de instruções com 180 páginas de dimensão próxima ao A4 e duas folhas de autocolantes. Duas! São mais de 50 autocolantes que fiz questão de ignorar. Eu sei que muitos remetem para situações na sitcom, mas desde que vi o estado em que vários autocolantes da LEGO ficaram com apenas 20 anos de idade, reforcei a minha aversão aos mesmos. Se for para o meu filho brincar, pondero em colar, de resto, é para esquecer.

21336 The Office (03)

Antes de começar a descrever a experiência de construção e o design do set, devo referir que não vou nomear o nome dos personagens, situações e referências de uma série que vi apenas 3 episódios e que me recordo de 4 personagens, de algumas situações e pouco mais. Mas também devo referir que o set conseguiu transportar-me de novo para o cenário da série e até reavivar algumas das minhas memórias. Sim, é um ponto positivo.

21336 The Office (04)

21336 The Office (05)

21336 The Office (06)

21336 The Office (07)

21336 The Office (08)

Sendo assim, as primeiras duas das dez fases são dedicadas ao gabinete do chefe. Em termos de construção não há grandes técnicas mas no final temos um pequeno gabinete bastante recheado. Gostei particularmente do globo terrestre impresso numa cabeça de minifig, da quantidade de peças em sand green, da utilização de plates 1x5 numa situação que eram mesmo necessárias e do ambiente de escritório bem conseguido. Não gostei do enorme armário que está logo numa das minhas cores preferidas, dark orange.

21336 The Office (09)

Nas oito fases seguintes construímos o resto do The Office. Entre assentar plates para a base, levantar algumas paredes e equipar o escritório com secretárias (há cinco quase idênticas), estantes, cadeiras, quadros, etc e ficamos com o set pronto. Apesar de termos vários pontos bastante parecidos (por exemplo, as secretárias), posso garantir que não senti que a experiência de construção fosse enfadonha. No entanto também não foi propriamente gratificante já que não me senti entusiasmado com as técnicas de construção, algo que prezo muito. Por isso não me aborreci, mas também não conto guardar memórias. 

21336 The Office (10)

Em termos de peças posso dizer que fiquei agradado com o lote já que possui uma boa quantidade de plates grandes e muito material de escritório, tudo em cores agradáveis. Destaque, claro, para as 15 minifiguras que facilmente poderão ser utilizadas em contexto citadino. Sim, são em “cor de pele”, mas isso já não é problema para muitos AFOLs.

21336 The Office (11)

No fim ficamos com o cenário bem montado, com espaço para algum roleplay e com imensas referências à série o que, com certeza, irá fazer sorrir o pessoal que a viu.

As Peças 7/10 (preço aceitável para um bom lote de peças)

A Construção 6/10 (não é má, mas também não irá ficar na memória)

O Desenho 8/10 (reconhecível mas sem espantar, é bastante melhor que o projecto original)

Jogabilidade 8/10 (pergunto-me se não será melhor para brincar do que para expor)

21336 The Office (12)

O set representa de forma bastante satisfatória o cenário do The Office. Penso que vai agradar imenso os fãs da série de TV, mas não é incontornável em termos de fãs da LEGO. Não deixa de ser uma grande fonte de figuras e mobiliário de escritório :)

Conclusão 7/10

(Este conjunto foi fornecido para análise pela The LEGO Group, mas a review é da minha inteira responsabilidade)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:54

Review: LEGO 40554 Jake Sully & his Avatar

por baixinho, em 15.09.22

40554 Jake Sully & his Avatar (1)

Tema: Brickheadz

Ano de Edição: 2022

Número de Peças/Minifigs: 246/-

Preço LEGO®: 20€

Link Brickset: https://brickset.com/sets/40554-1/Jake-Sully-his-Avatar

 

Avatar é um IP que a LEGO vai apostar na recta final deste ano e isso, como é hábito, é sempre uma desculpa para adicionar mais alguma coisa para a série Brickheadz.

Vi o filme na altura que saiu, achei-o interessante, mas não foi capaz de entrar para o meu top mesmo tendo em conta que sou fã de ficção científica. Apesar de deslumbrante em termos de imagem, não fiquei surpreendido com a história. Já vi coisas bem mais interessantes com temáticas semelhantes. Mas pronto, não deixa de ser ficção científica e portanto recebe pelo menos alguma da minha atenção.

40554 Jake Sully & his Avatar (2)

Penso que a LEGO foi algo comedida na escolha destes personagens (ou deste personagem) para este set. Dá a sensação que já está preparado para não haver mais Brickheadz deste tema, já que se pegou nas duas formas do protagonista e que facilmente podemos esquecer o resto. Mas avancemos para a análise deste conjunto. 

40554 Jake Sully & his Avatar (3)

A construção segue o habitual nesta série onde a cadeira de rodas (que rodam) é a grande novidade. A experiência não é cansativa, mas também não há propriamente a sensação que estamos a fazer algo de novo ou diferente. Não construí assim tantos Brickheadz (talvez uns 10) e pergunto-me se é algo estimulante para quem os tenha construído todos. Sim, detesto colocar aqueles corninhos todos já que a peça é demasiado pequena para os meus dedos e ficam sempre tortos. 

A nível de peças as mais interessantes são mesmo as azuis em claro do Na'vi já que por norma não ligo muito às peças impressas desta série. A maior parte das peças parecem-me de fácil utilização, principalmente a grande volume de bricks com studs de lado. No entanto penso que compre estes sets não pense propriamente nas peças que os compõem, apesar de ter um PPP bastante aceitável.

40554 Jake Sully & his Avatar (4)

O desenho final está bastante na linha do que a série nos habituou. O Na’vi está perfeitamente reconhecível, achei piada à trança na parte de trás e a lança está simples mas tem um aspecto imponente. A versão humana do Jake é regular apenas destacando que os braços são ligeiramente articulados e de ter as pernas para a frente para possibilitar a integração da cadeira de rodas. A cadeira de rodas é mesmo o que se poderia esperar… Achei é que a diferença de estatura deveria ser maior entre estas personificações da mesma personagem.

As Peças 8/10 (bom preço mas sem causar espantos)

A Construção 6/10 (o de sempre)

O Desenho 8/10 (competente)

Jogabilidade 7/10 (isto é para expor, certo?)

40554 Jake Sully & his Avatar (5)

Obrigatório para os coleccionadores de Brickheadz e para os amantes do filme. Segue o que os Brickheadz nos habituaram, para o bem e para o mal.

Conclusão 7/10

(Este conjunto foi fornecido para análise pela The LEGO Group, mas a review é da minha inteira responsabilidade)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:00

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 3)

por baixinho, em 13.09.22

Mais análises de cinco peças. Desta vez todas têm algo em comum. São vulgares!

 

Bright Light Orange Brick 2 x 4

A 3001 é uma peça tão fundamental na história da LEGO que penso que ganhou o estatuto de incontornável. Por vezes quando construo sets com alguma dimensão e apercebo-me que esta peça não está presente, fico a pensar se a LEGO não se está a desviar demasiado do caminho. Sim, eu e a importância das peças básicas é um assunto recorrente nas minhas conversas, mas vamos passar ao que interessa.

Segundo o Bricklink, a iteração com esta cor apareceu em 2015 e desde aí que habita ou habitou 46 conjuntos diferentes. Desenganem-se se acham que é presença forte em conjuntos Friends ou nas princesas magrelas da Disney, o tema onde aparece mais é no clássico Classic.

Esta é uma peça que utilizo imenso no meu local de trabalho já que a sua versatilidade é bem maior do que a grande maioria das pessoas pensam e é fácil para as crianças “compreendê-la” percebendo as suas potencialidades e capacidades.

No entanto, o que me fez colocar um punhado delas (não muitas que enchem demasiado rápido o copo) foi realmente a sua cor que é praticamente inexistente na minha colecção. Este amarelo alaranjado ou laranja amarelado é uma cor que cada vez me agrada mais e muitas vezes até a considero mais, sacrilégio, atraente que o amarelo clássico. Ter algumas poderá sempre dar jeito para um pequeno projecto ou então perceber que fica melhor do que o amarelo normal e assim comprar mais algumas.

Peça básica e relativamente comum de utilização simples nem que seja para o proverbial "enchimento".

2 em 3 estrelas

 

Light Bluish Gray Slope, Curved 2 x 1 x ⅔

Esta peça apareceu em 2013 e foi um sucesso imediato junto dos AFOLs. Apesar da peça desta cor ter aparecido em mais de 250 conjuntos, apenas apareceu no ano seguinte, 2014. 

A sua utilidade é inegável já que pode ser vista em várias situações diferentes. É excelente para fazer transições suaves entre dois níveis ou mesmo para aligeirar o vinco entre dois planos perpendiculares, algo que quebra os ângulos rectos habituais nas construções LEGO. Isto faz com que seja habitual em veículos de toda a espécie, desde comboios a naves espaciais. Temos também a utilização para suavizar as rochas (mas que neste caso, prefiro a versão mais escura) ou, como a LEGO faz muitas vezes, para segurar outras peças de forma discreta.

Trouxe algumas para, principalmente, utilizar em trabalhos onde pretendo simular rochas. Como já tenho algumas dezenas, penso que não vou precisar de muitas mais. Dava jeito era a inversa!

É uma peça vulgar, algo específica mas de fácil utilização.

2 em 3 estrelas

 

Dark Tan Tile 2 x 2 with Groove

Outra peça que de rara, não tem nada. A tile 2x2 (com ou sem groove) é uma peça com décadas e a versão em dark-tan aparece de forma regular em 2007. Digo regular já que aparece também de forma aleatória num set de 2004. Sim, chegou pelo menos a haver pelo menos um set que no interior trazia peças (mais ou menos) aleatórias, mas isso é outra história. Voltando à peça, desde 2007 saiu em 134 conjuntos sendo habitual em vários temas. 

Como qualquer tile, a sua principal função é tornar uma superfície lisa já que os studs podem ser bastante inestéticos em algumas construções. Esta versão em particular teve essa tarefa em vários sets Architecture mas a minha ideia de utilização é ligeiramente diferente. Adoro a cor dark-tan para utilizar em terrenos já que fica lindamente como areia molhada ou como zona de caminho entalada entre peças tan e estas por suas vez entre verdes. Algo como fiz aqui e aqui, neste último caso com outras cores. A presença de algumas tiles no meio de plates faz suavizar o ruído criado pelos studs e, portanto, pode melhorar imenso o aspecto dos landscapes criados lá em casa com peças LEGO. Outra utilização desta peça, em conjunto com outras, é a decoração do chão de casas mais senhoriais, já que faz um bom contraste com muitas outras cores. Outra utilização que adoraria experimentar é como os muros de castelos, já que se for colocada de forma intercalada, fica um efeito giro e nesta cor penso que ficará original.

Portanto é uma peça vulgar mas também com uma utilização vulgar e que poderá consumir-se facilmente dezenas de unidades.

3 em 3 estrelas

 

Red Brick, Round 1 x 1 Open Stud

Esta peça nesta cor existe desde tempos imemoráveis. Para terem uma ideia, o Bricklink refere que já apareceu em mais de 500 conjuntos!

A peça está numa cor que hoje em dia é muitas vezes evitada e apenas utilizada para situações obrigatórias (veículos da Ferrari ou de bombeiros, por exemplo) ou em conjunto com outras cores para quebrar o “garrido” da cor. Os bricks round 1x1 são utilizados em variadíssimas situações, mas o vermelho da peça limita um pouco a sua abrangência. Mesmo assim pode ser utilizada em telhados utilizando a técnica do 10232 Palace Cinema ou algo aproximado, pode ir para a cabanas de madeira se lhe juntarmos mais peças castanhas ou até tubos em naves espaciais se lhe colocarmos um hose por dentro a ligar várias unidades e possibilitar que fiquem em posições curvas.

Assim sendo é uma peça vulgar, de fácil utilização mas que nesta cor as opções ficam muito mais limitadas. Seria muito mais interessante se fosse numa das cores mais recentes e por isso mesmo não trouxe nenhuma!

1 em 3 estrelas

 

Yellow Brick 1 x 4

Outra peça dos tempos de antanho (o Bricklink refere 1964) e que em amarelo teve a sua primeira aparição, segundo também o BL, em caixinhas de peças em 1966 e no ano seguinte em pleno direito em sets. Já apareceu em mais de 700 sets e duvido que deixe de aparecer tão cedo. Ok, já não é tão comum como foi há algumas décadas atrás, mas mesmo assim é uma peça relativamente fácil de arranjar.

Fácil de arranjar e fácil de utilizar como qualquer brick 1x?. Basta dizer que estas peças são fundamentais nas construções para que a LEGO foi feita, casinhas. Além disso acho que este tamanho em particular (4 studs) é o mais versátil de todos. 

Claro que funciona bastante bem para outros tipos de construções já que este tipo de peças são as que possibilitam, utilizando apenas técnicas de construção simples, as paredes com menor espessura possível. Por isso é das peças que se gasta mais facilmente e duvido que existam AFOLs não gostem de ter um bom stock em casa.

O problema está na cor. Apesar de ser uma das cores clássicas (em conjunto com o vermelho, azul, branco e preto), começa a ser algo datado em termos de construções mais actuais. Tal como a peça anterior, se fosse noutra cor mais recente, esta peça iria directamente para o meu top da parede lisboeta. Neste caso, não trouxe nenhuma mas apenas porque tinha outras mais interessantes na frente!

2 em 3 estrelas

 

Por ter vários reviews de sets na calha, o próximo capítulo desta série vai atrasar-se um pouco É questão de estarem atentos!!

 

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 1)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 2)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:35

Louva a Deus

por baixinho, em 11.09.22

Praying Mantis

Já há algum tempo que não falava de nenhuma construção de um dos meus temas predilectos, steampunk. Esta criatura mecânica foi construída pelo Caleb Flutur e é a sua sexta criação do género. Sim, sigam lá o link no nome do autor para ver as restantes.

Claro que a primeira coisa que me chamou a atenção foi o habitual esquema de cores do tema. Mas depois começam a aparecer alguns detalhes interessantes onde a forma e proporcionalidade está excelente e tudo com recurso a técnicas relativamente simples mas uma utilização bastante inteligente das peças disponíveis. Fico curioso com as possíveis criações que poderão aparecer nesta série de MOCs.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:16

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 2)

por baixinho, em 10.09.22

Para quem não segue com regularidade o blog, pode ler a primeira parte desta série de artigos aqui. Assim, além de conhecer as primeiras peças que analisei, pode ler a introdução e conhecer o objectivo desta rubrica. Para os meus seguidores, podem passar já para as peças lembrando sempre que a análise será sempre subjectiva e que terá em conta a minha forma de encarar o hobby!

 

Medium Nougat Plate 4 x 8

Esta foi a peça que me fez comprar um segundo copo no dia da abertura da loja. Só depois de pagar o primeiro copo é que reparei nesta peça e pensei logo, que se lixe os 20 euros, quero algumas destas lá para casa.

A razão é simples, adoro a cor e acho que facilmente poderá ser utilizada como base para, por exemplo, um pequeno display medieval ou algo mais quente como um Outpost europeu nas Caraíbas ou algo relativo ao médio oriente. As possibilidades são imensas e plates 4x8 são daquelas peças que nunca são demais. Trouxe vinte e quatro unidades (encaixadas em lotes de 6 para ocupar menos) e pergunto-me se não deveria ter trazido mais algumas.

Esta peça nesta cor começou a sair em 2019 e desde aí já apareceu em 12 sets, maioritariamente Friends (é de um deles que a conheço). Curiosamente num set (o 10292 The Friends Apartments) aparece vinte e quatro vezes, o que é obra para uma peça desta dimensão.

3 em 3 estrelas

 

Red Slope 30 1 x 2 x 2/3

Esta não trouxe nenhuma unidade para casa e quase que foi o motivo para trazer um terceiro copo. Resisti e se calhar até fiz bem porque realmente é uma peça que raramente utilizo e até tenho alguma quantidade em casa. A cheese dupla (como também é conhecida) apareceu em 2009 e, curiosamente, esta versão em vermelho só apareceu em 2011. Desde aí já apareceu em mais de 200 conjuntos o que a torna extremamente vulgar. Claro que essa vulgaridade não diminui a utilidade de uma peça que facilmente é utilizada em vários tipos de construções e que nesta cor pode ser excelente para aquilo que as slopes inicialmente foram desenhadas, telhados. Também achei curioso que, na altura que visitei a loja, o Pick & Build não disponibilizava (pelo menos que tenha reparado) nenhuma slope clássica o que fazia com que esta fosse a única peça que daria para fazer telhados “simples”. Simples entre aspas, já que a técnica de construção é ligeiramente diferente do que com as slopes normais.

Não trouxe, poderia ter trazido e apesar de achar que não substitui a necessidade de slopes normais (duvido que alguém consiga fazer um telhado clássico com alguma dimensão com o sortido de peças dos sets atuais), é uma substituta com o seu mérito.

2 em 3 estrelas

 

Bright Green Plant Plate, Round 1 x 1 with 3 Leaves

É uma peça relativamente recente (2018) e que já se tornou vulgar nos conjuntos LEGO. Esta tonalidade é mesmo a que aparece mais vezes e nestes cinco anos de vida tem a sua presença (segundo o Bricklink) em 227 conjuntos! Pode ser utilizada como folhas de árvores, mas não julguem que essa é a única utilização. Pode ser colocada na terra para, em conjunto com outras peças, servir de plantas, arbustos e, com um pouco de trabalho, trepadeiras; pode servir de ornamento apesar desta cor não ser a ideal e pode servir para decorar festas e colorir interiores de habitações. Pessoalmente adoro-a porque a acho muito versátil e facilmente dá um colorido giro aos MOCs que tenham alguma natureza. Trouxe uma boa quantidade mesmo sabendo que já tinha algumas dezenas em casa.

3 em 3 estrelas

 

Dark Orange Plate, Round Corner 3 x 3 with 2 x 2 Curved Cutout

“Dark Orange, tenho que trazer tudo o que puder!!!”, pensei eu. Mas depois de olhar para a peça e pensar primeiro, “porreiro, por cima é uma peça recente!!”, logo a seguir comecei a pensar, “mas que raio posso eu fazer com isto?”.

Sim, é verdade que este molde é de 2020 e nesta cor apenas começou a aparecer no ano passado. São cinco os conjuntos em que ela tem a sua presença, nenhum deles propriamente barato e em nenhum deles numa quantidade apreciável.

Apenas trouxe 4 unidades para ter no meu stock alguns exemplares já que eu gosto de construir com as peças que tenho e só em caso extremos, comprar o que me falta. Apesar de adorar a cor, a forma da peça não é a mais simples de utilizar e, arrisco a dizer, apenas nos dá jeito em situações específicas. Claro que depois de chegar a casa lembrei-me que até poderia utilizar uma quantidade apreciável num MOC que ando a magicar já há demasiado tempo, portanto, se tiver oportunidade de ir a Lisboa, quase de certeza que vou por mais algumas num copito.

Cor porreira, peça relativamente rara mas de utilização difícil.

2 em 3 estrelas

 

Trans-Light Blue Dish 3 x 3 Inverted (Radar)

Esta é uma peça que existe há quase 20 anos (2003) e que nesta cor aparece em 30 conjuntos desde 2005. No entanto, na realidade só se tornou mais vulgar na última meia dúzia de anos.

Considero a sua utilização demasiado específica e duvido que se precise em grandes quantidades. Não vejo a sua pertinência na parede, tanto na perspectiva de AFOLs, compradores ocasionais ou até crianças.

1 em 3 estrelas

 

Desta vez dei uma vista de olhos em 5 peças já que fiz uma estimativa que a Pick & Build de Lisboa tenha mais de 60 peças. Assim adianto a tarefa mais rapidamente :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:55

Review: LEGO 10497 Galaxy Explorer

por baixinho, em 09.09.22

10497 Galaxy Explorer (1)

Tema: Icons

Ano de Edição: 2022

Número de Peças/Minifigs: 1254/5

Preço LEGO®: 100€

Link Brickset: https://brickset.com/sets/10497-1/Galaxy-Explorer

 

Com a comemoração dos 90 anos da empresa LEGO, a empresa aproveitou para lançar alguns conjuntos referentes à data. Este é um deles e é basicamente um reimaginar do conjunto 497/928 Galaxy Explorer de 1979. Como bónus, a LEGO disponibilizou na Internet as instruções para novas versões dos irmãos mais pequenos do Explorer, o que pode dar a vontade a algum pessoal de comprar logo 3 unidades deste set.

10497 Galaxy Explorer (2)

A caixa é logo uma das características que chamam a atenção pelo seu design já que remete directamente para aquela que é chamada a época de ouro da LEGO (algo que poderá ser questionável). Vou ser sincero ao dizer que adoro estas caixas e não é só pelo sentimento nostálgico que despertam. É que acho que o artigo em si (neste caso, a construção LEGO), é muito mais visível e fácil de perceber que a grande maioria das caixas que se fazem agora. Bem, não é propriamente agora mas sim nas últimas duas décadas. Ok, as caixas da linha Icons e linha Ideas já começam a ter minimalistas, mas a verdade é que aquele fundo negro não beneficia alguns dos sets e acho que esta aproximação (a clássica) é mais alegre e consegue criar uma identidade mais única. Achei estranho a caixa ser aberta através de um punch lateral o que a danifica. Não é que isso me chateie muito (a minha já foi para a reciclagem), mas tendo em conta que, creio eu, a maioria dos AFOLs colecionadores gosta de as guardar, a ceninha da fita-cola seria a escolha mais lógica.

10497 Galaxy Explorer (3)

Em termos de peças devo mesmo começar por referir que o PPP é muito jeitoso. Anda perto dos 8 cêntimos, o que é um verdadeiro achado hoje em dia no que toca a Icons. Há várias peças exclusivas, a maior parte delas são impressões e outras penso que sejam actualizações de moldes já antigos e por isso tem uma nova referência no Brickset. Pessoalmente o destaque vai para o tile meio círculo em light-bley (foram tantas as vezes que achei que esta peça ficaria melhor do que duas quartos-de-pizza juntas), as canópias em amarelo transparente (sim, uma estava riscada e parece que é comum isso acontecer) e para os óculos dos Minions (6303442). Mas além destes destaques há muitas outras peças bastante úteis e, por isso, não posso deixar de dizer que adorei as peças impressas, a quantidade fenomenal de plates e tiles cinzentas e as sempre úteis wedges. Achei piada a que só tenham sido utilizadas cores que existiam na altura (claro que o cinzento fui substituído pelo novo) mas que no fim faz com que a pallete de cores das peças seja algo monótona. Yeps, já não consigo viver sem aqueles tons pastéis todos.

10497 Galaxy Explorer (4)

10497 Galaxy Explorer (5)

Provavelmente esse é um dos pontos que eu considero como dos mais fracos do conjunto. Se por um lado o esquema de cores obedece de forma irrepreensível o modelo original, acho completamente deslocado do que normalmente se vê e viu na ficção científica. Aliás, o próprio formato da nave é algo esquisito. Mas claro que não me posso queixar disso já que o designer (o excelente Mike Psiaki) seguiu à risca os valores do original. Aliás, devo referir que tendo em conta as limitações do desenho de sets LEGO, o original e o preço target, dificilmente se conseguiria fazer melhor do que este set. Eu é que se calhar adoraria que a LEGO fizesse uma nave espacial na linha Icons com traços modernos mais sem ser vinda de um filme, série de TV ou IP manhoso.

10497 Galaxy Explorer (6)

Há detalhes que são excelentes, começando pelo trem de aterragem, as técnicas perfeitas que foram utilizadas para se conseguir aqueles ângulos, os interiores que normalmente são esquecidos, o plano inclinado para o habitáculo, o gadget da rampa de acesso, a porta entre o compartimento do rover e o habitáculo, o próprio rover,  as setas “impressas” e as minifigs onde se inclui o robô bem ao estilo clássico. Aliás, é mesmo nisso que o conjunto vale. Consegue cheirar a clássico mas onde o estilo de construção é do mais moderno que há e o facto de ser 1.5x maior só lhe traz encanto. Aliás, a nave é mesmo enorme para aquilo que nos habituamos a ter nesta faixa de preço!

10497 Galaxy Explorer (7)

10497 Galaxy Explorer (8)

Para chegarmos a este desenho a construção desenvolve-se ao longo de nove fases que nos são mostradas num livro de instruções com 164 páginas e com dimensões próximas do A4. As primeiras quatro fases são dedicadas ao que eu chamo a estrutura da nave. A primeira pode assustar pela quantidade de peças technic que, apesar de serem na maioria úteis bricks technic, é mesmo assim algo aborrecida. Mas depois tudo muda e começamos a trabalhar com peças na diagonal onde são utilizadas várias soluções interessantes para no fim bater tudo certinho. As últimas cinco fases tornam as coisas ainda melhores, já que dedicamos praticamente todos os passos ao casco e habitáculo da nave. Sim, há vários momentos de construir em espelho algo que fizemos uns passos antes, mas nada que torne a experiência cansativa. Há detalhes de construção como a comporta e as setinhas “impressas” que são os momentos que mais facilmente ficam gravados na memória. Num ápice temos a nave pronta e até começamos a pensar que poderiam ter ido mais além com a superfície lunar e a pequena base como acontece no original.

A jogabilidade foi testada pelo meu filho. Fartou-se de brincar com algo que não é relativo a um filme ou série de TV, cujas as minifiguras são genéricas e que não há um conflito implícito. Afinal há esperança na humanidade já que as crianças de hoje conseguem ainda brincar com algo que era comum há 40 anos atrás e que insistem a dizer-nos que está fora de moda. Portanto, 10!

As Peças 9/10 (bom preço para uma boa variedade e com algumas preciosidades)

A Construção 10/10 (excelente experiência com vários momentos wow)

O Desenho 10/10 (um redux perfeito)

Jogabilidade 10/10 (tudo para uma criança ser feliz num set de luxo)

10497 Galaxy Explorer (9)

Excelente preço para um bom volume de peças. Excelente experiência de construção que resulta num set que consegue captar uma época da LEGO sem parecer datado e, por fim, uma jogabilidade excelente onde qualquer criança consegue brincar sem recorrer a um qualquer IP de qualidade questionável e sem conflito implícito! 

Conclusão 10/10

(Este conjunto foi fornecido para análise pela The LEGO Group, mas a review é da minha inteira responsabilidade)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:46

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 1)

por baixinho, em 08.09.22

O Pick & Build (AKA Pick a Brick) na loja certificada da LEGO em Lisboa foi provavelmente uma das maiores surpresas na abertura e é provavelmente a característica que, para mim, torna a loja mais atraente. 

Conversss em Construção at LEGO Shop

O funcionamento é muito simples. Numa parede temos uma quantidade apreciável de recipientes com peças. A grande maior parte dos recipientes contêm apenas um tipo de peça, mas alguns deles podem conter dois tipos (vi duas destas situações) e, sinceramente, não vejo nenhum impedimento para conter três ou mais. Depois é escolher um dos copos e encher com peças a gosto. O maior custa 20 euros e o menor 12 euros. Aparentemente compensa escolher o maior, mas não testei o volume!

No entanto é vulgar pensar que o tipo de peças disponibilizado pode não ser o melhor já que pode haver várias condicionantes que perturbam a escolha ideal. Na realidade essas condicionantes são (oficialmente) desconhecidas dos clientes, algumas delas devem ser fáceis de imaginar. Por exemplo, as peças tem que estar disponíveis nos armazéns para este tipo de actividade, o custo de produção deve estar dentro de certos limites, etc. Outras já devem ser difíceis de descobrir. Por exemplo, eu acho que as cores são uma condicionante já que não deve ser coincidência que a parede tenha um aspecto colorido tão certinho, como podem verificar na fotografia acima.

O objectivo desta série de artigos é analisar as peças disponíveis que se encontram na parede do LCS de Lisboa. Vou tentar pegar em três peças em cada artigo e dar a minha opinião sobre a sua raridade e utilidade com uma avaliação final de 1 a 3. Sim, a avaliação é subjectiva e baseia-se na minha perspectiva do hobby e basicamente é uma escala de “não preciso desta peça” a “esta peça é imprescindível no meu stock”. Vou tentar ter alguma regularidade nestes artigos e, claro, tentar acompanhar a oferta da loja.

 

Dark Turquoise Window 1 x 4 x 3 - No Shutter Tabs

Esta foi a primeira peça que me chamou a atenção. Janelas dão sempre jeito e nesta cor não conhecia. Bastou uma pequena pesquisa (que podem seguir no link acima) para perceber que apareceu em 2018 em dois sets das princesas Disney (logo era basicamente impossível ter dado por ela) e que desde aí apareceu em 7 sets Friends e um Ninjago, portanto 10 no total. Como é uma peça que é relativamente vulgar hoje em dia, pode indicar que este tipo de actividade não servirá propriamente para arranjar peças raras. Gosto da peça em si e gosto da cor, já que introduz alguma variedade. Dá sempre jeito ter um bom lote em casa para quando decidirmos construir algo que utilize janelas desta cor.

De notar que no mesmo recipiente encontra-se o vidro respectivo para esta janela. Portanto aconselho contar o número de janelas e retirar o mesmo nº de vidros. Aliás, o ideal é encaixar no local para assim ocupar menos espaço no copo!

3/3

 

Tan Plate, Modified 2 x 2 with Groove and 1 Stud in Center (Jumper)

Esta jumper apareceu em 2009 e desde aí que é uma peça fácil de encontrar. Para terem uma ideia, nesta cor apareceu em 124 sets segundo o Bricklink. Isso também denota que é uma peça que facilmente pode ser utilizada. A sua utilização mais vulgar é a capacidade de mover o grelha tradicional da LEGO meio stud nos dois sentidos, mas pode ser utilizada em muitas outras situações como por exemplo aleatoriamente numa superfícies de tiles para quebrar a monotonia. No entanto acho que todas estas utilizações são indicadas para AFOLs já com algum traquejo. É, por isso, uma peça relativamente útil , mas vulgar. Portanto acho que poderia haver melhores escolhas para a parede.

2/3

 

White Plate, Modified 1 x 2 with Bar Handles on Ends

Esta peça fez a sua primeira aparição em 2015 e a versão em branco aparece em 11 sets diferentes de vários temas a partir de 2019. É uma peça que considero que está no meio termo entre as peças básicas e as peças específicas já que é de fácil utilização mas a sua utilidade vê-se melhor em situações bastante específicas. É sempre bom ter algumas no nosso stock, mas já me pergunto se valerá a pena ter uma grande quantidade delas.

1/3

 

Não consigo prometer uma regularidade certa para estes artigos, mas se este assunto vos interessa, podem sempre dar uma vista de olhos neste grupo de Facebook que foi criado a pensar nesta parede lisboeta em particular!



(imagens das peças retiradas do Bricklink)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:50

Valendiell

por baixinho, em 07.09.22

Valendiell

O nome deste MOC até pode lembrar terras na Terra Média, mas o intuito não é esse. Peter Ilmrud criou este MOC para caber dentro de um domo do Ikea. Devido aos reflexos, retirou o vidro para a fotografia.

Mas deixando esse detalhes de lado e concentrando no que ao LEGO respeita, há detalhes brilhantes. Gosto da imponência da árvore, do pequeno dirigível (o detalhe dos motores é de génio), o templo/castelo, a pequena aldeia e, por fim, a água que está simples, mas tem um efeito eficaz.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:48

Terça-feira do Ideas: The Architect's House

por baixinho, em 06.09.22

O autor, LEt.sGo, já é membro do 10k Club e portanto não é propriamente um desconhecido. Por isso não foi com estranheza que vi este projecto destacado na página do Ideas, já que além de ser bastante vistoso, é de alguém já com alguma experiência.

A primeira impressão que tive ao ver a imagem acima, é que a casa estava numa escala enorme, tipo ter o pé-direito algures nos 10 bricks de altura. Mas o que se passa é exactamente o contrário. Os pés-direitos andam por volta dos 6 bricks de altura o que a torna bastante pequena para o que estamos habituados a ver não só na LEGO (os modulares nunca tem menos de 8) ou mesmo em construções de AFOLs. Isso pôs-me ainda mais curioso.

Depois de dar uma vista de olhos bem atenta às restantes fotografias, a impressão que fico é que em termos de técnicas este projecto não é nada de especial. O grande valor dele é que bate tudo certinho, num estilo bastante actual que o torna realmente atraente. Não gosto que seja aberto por trás (o que ajudou a resolver o problema das escadas), mas os interiores detalhados, modernos e simples são bastante catitas. Dá a sensação que apesar de estar numa escala bem apertada para os minifigs, utiliza imensas peças.

Creio que a ser um projecto, os designers iriam divertir-se a incluir várias modificações para o tornar mais atraente em termos de técnicas de construção.

Neste momento este projecto tem 3 624 apoiantes e ainda tem 596 dias para chegar aos 10 000. Aqui ficam as minhas previsões:

Chegará aos 10 000 apoiantes?

Provavelmente. Já ultrapassou um terço do caminho em menos de 15 dias e o autor parece saber mexer-se quanto à promoção dos seus projectos.

Se chegar aos 10 000 apoiantes, a LEGO irá torná-lo num set oficial?

Creio que não já que não acho que seja algo marcante. Mas desde que vi a LEGO a editar coisas que para mim são completamente irrelevantes, já acredito em tudo. Ok, não tudo, mas acho que dá para perceber.

A ser um set oficial, entraria na minha wishlist?

Não. Acredito que conseguissem fazer algo atraente, mas provavelmente não entraria no top10 da minha lista.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:17

Verde-Lima

por baixinho, em 05.09.22

The Hideout (Main)

Há uns bons anos atrás as peças em verde-lima eram daquelas que sempre me interrogava o que poderia fazer com elas. Depois começaram a aparecer alguns MOCs (nomeadamente medievais) que as utilizavam de forma bastante vistosa nos terrenos. É o caso desta construção do Simon Schweyer onde o verde capta logo toda atenção mas sem invadir totalmente o MOC. Destaque para os desníveis no terreno para fazer o caminho e o ribeiro, as árvores, a pedra e para a água. Sim, aquela queda de água vai directamente para a memória!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 20:24

A abertura da primeira loja certificada da LEGO em Portugal

por baixinho, em 04.09.22

Opening Day of the first LEGO certified store in Portugal

Como disse num dos posts anteriores, a equipa do podcast Conversas em Construção teve a oportunidade de realizar um episódio uns minutos antes da abertura da primeira loja certificada da LEGO em Portugal. Portanto o impensável, para mim, aconteceu e fiz mais de 800 kms (ir e vir, ok?) para estar presente na abertura de uma loja. 

Opening Day of the first LEGO certified store in Portugal

Poderia achar isso normal se fosse há uns bons anos atrás. Agora já não ligo muito a lojas (da LEGO ou com LEGO) já que pessoalmente não afectam grandemente o meu hobby. Mas essa é a minha perspectiva pessoal e sei muito bem que isso não acontece com a generalidade dos AFOLs portugueses. E esse detalhe já me interessa já que o fenómeno da comunidade gerada por este hobby sempre me despertou curiosidade, especialmente a portuguesa já que até fui um interveniente bastante activo (por exemplo, estive na fundação de ambas as LUGs que são reconhecidas pela LEGO).

Conversss em Construção at LEGO Shop

Portanto lá fui a Lisboa, entrei no Colombo, que acho que a última vez que o fiz foi algures em 1998, e estive com os meus colegas do podcast a gravar um episódio com o Nuno Albuquerque, Area Manager Portugal da Percassi. Posso mesmo começar por agradecer o dia espetacular às pessoas com quem partilhei estes momentos. O Olímpio Alexandre (e esposa), o Pedro Sequeira e o Tiago Catarino são sempre garantia de momentos divertidos e imensa partilha de conhecimentos do meu hobby preferido. O Nuno Albuquerque e toda a equipa que estava a trabalhar para dar tudo certo na abertura da loja também tiveram toda a disponibilidade para nos atenderem no meio daquele nervosismo expectável pelo momento em que estávamos. A Paula Carvalho (e o João) da Suit.PR foram também incansáveis e sei que a nossa presença deve-se muito a eles. Também foi divertido estar com alguns AFOLs (não coloco o nome porque podiam estar lá sem dizer nada às respectivas...) que já não via há já algum tempo e assim por alguma conversa em dia. Claro que devo ter-me esquecido de alguém, mas perdoem-me que o dia foi longo :)

Conversss em Construção at LEGO Shop

Eu e o Alex chegamos bastante cedo ao Colombo e logo a seguir chegou o Pedro. Estava bastante gente à porta do centro comercial, mas rapidamente reparamos que o objectivo era diferente. Qualquer coisa que ver com comprar bilhetes para um concerto de música, segundo me informaram. Bem me parecia tendo em conta a idade do pessoal. Depois da porta aberta lá fomos ter à loja LEGO que ainda estava fechada mas onde já dava para ver bastante do interior. Os pilaretes com faixas no exterior já indicavam que estavam à espera de uma grande afluência. Fomos convidados a entrar pelas traseiras, passamos o armazém e gabinetes da loja e entramos finalmente no espaço público da loja. Posso dizer que a minha primeira impressão foi que estava perante um cenário bastante agradável onde as cores normalmente garridas da LEGO não estavam demasiado presentes e a distribuição das estantes e outros acessórios estava bastante porreira, o que até provocava a impressão do espaço ser maior do que realmente é. Bem, se calhar essa impressão foi mais porque na realidade na altura que entramos estavam apenas alguns funcionários. Entre algumas conversas e muitas fotografias lá fomos preparando o espaço para gravar o podcast. Enquanto o Catarino não chegava, estivemos na conversa com o Nuno Albuquerque e ficamos a saber vários detalhes relativos à loja, parte deles foram repetidos durante o episódio. Começamos então a gravar o episódio enquanto os funcionários continuavam a acertar os últimos detalhes, enquanto os primeiros clientes aglomeravam-se lá fora e eramos fotografados como vedetas que afinal também somos :). Bem, na verdade a vedeta é o Catarino que farou-se de autografar sets e posar para fotografias com alguns dos seus fãs :) . A gravação foi uma sessão breve e bastante agradável e cada vez mais fico com a sensação que o podcast tem a sua potencialidade que não exploramos devidamente.

Conversss em Construção at LEGO Shop

Depois de arrumarmos tudo, tivemos que voltar à zona reservada já que o fotógrafo ainda necessitava de tirar mais fotografias com a loja vazia. Logo a seguir dá-se a abertura e nós entramos pela porta da zona reservada mais ou menos ao mesmo tempo que a onda de clientes entrou pela porta. Sim, foi quase como enfrentar uma onda verdadeira. A fila lá fora era tão grande que nem toda a gente pode entrar devido à lotação da loja. Posso dizer que a afluência praticamente não diminuiu até à hora do almoço. Ia saindo gente com compras, entrando mais gente para a loja e ao mesmo tempo ia chegando gente para a fila na parte de fora da loja. Mesmo assim posso garantir que não houve confusões dignas de nota, estava-se bastante bem dentro da loja e a única coisa que o pessoal se poderia queixar era o tamanho das filas para pagar. Mas com o tempo os funcionários foram oleando os procedimentos e passadas algumas horitas, as filas começaram a ter dimensões mais pequenas.

Opening Day of the first LEGO certified store in Portugal

Não vou tentar descrever a loja e a disposição dos sets porque provavelmente poderei esquecer-me de detalhes que poderão ser interessantes, mas acho que com as fotos que já abundam na Internet e estas que acompanham o artigo são mais que suficientes para ter uma boa ideia. No entanto acho que devo referir que cerca de um terço do espaço era ocupado com sets que podem ser considerados para adultos (AFOLs ou não). Sim, como devem adivinhar, as primeiras falhas no stock foram exactamente nesses sets. Não fiquei grandemente admirado com o mosaico alusivo a Lisboa, mas isso não se deve à sua qualidade mas ao facto de que já esperava algo do género. Fiquei admirado sim foi com a parede de azulejos criados com tiles LEGO. Muito gira e com um efeito excelente. Ahh, podem divertir-se a encontrar erros. Eu encontrei um e mais tarde mostraram-me mais dois! Provavelmente haverão mais. Havia também mais umas estátuas, sets montados, áreas de construção, mas nada que me chamasse verdadeiramente a atenção mas que no geral funcionavam bastante bem para tornar o espaço agradável e interactivo. Para mim os destaques vão para o Minifigure Factory, o Build a Minifigure e o Pick & Build (mais conhecido entre nós como o Pick a Brick).

Conversss em Construção at LEGO Shop

No Pick & Build podemos encher os tradicionais copos (12 euros o pequeno, 20 o grande) com peças onde a variedade disponível pareceu-me relativamente interessante. Ok, haviam lá algumas peças que não lhes encontro uma utilização simples, mas a maior parte eram bricks, plates e tiles em cores agradáveis e com uma ou outra peça mais especifica como algumas plantas e janelas (com o respectivo vidro). Podem ver parte delas no meu videolog #05 e há mesmo um grupo no Facebook dedicado a este espaço da loja. Estava na ideia de comprar apenas um dos copos grandes, mas ao final da manhã reparei que afinal tinha deixado de lado algumas peças interessantes. Portanto de tarde lá comprei outro. Duas notas, reparei noutras peças interessantes depois de comprar o segundo copo, mas resisti e não comprei o terceiro. É também boa ideia andar com o copo uns bons minutos para as peças "acamarem" e assim terem espaço para mais umas quantas.

Opening Day of the first LEGO certified store in Portugal

O Build a Minifigure é do género dos que se encontram em outras lojas LEGO e com a seleção actual onde aparecem algumas peças (partes de minifigs) dedicadas o halloween. Seria porreiro na altura de junho aparecer alguns relacionados com os santos populares... Podemos construir então 3 figuras (pernas, torso, cabeça, headgear e acessório) por 10 euros o que até acho relativamente aceitável. Atenção que as peças para esta actividade encontram-se em dois locais o que pode confundir um pouco já que num dos locais está a indicação para o Minifigure Factory.

Conversss em Construção at LEGO Shop

No minifigure factory e por 12 euros podemos pegar nas peças do Build a Minifigure adicionar um torso branco impresso de forma personalizada. O software utilizado para gerar a impressão do torso (dos dois lados) é bastante amigável e com muito potencial. Tem vários templates, mas basicamente dá para criar qualquer coisa. O torso impresso vem acompanhado por um brick 1x3 também impresso mas onde apenas podemos colocar o nome com que vamos ser identificados no sistema de impressão.

Opening Day of the first LEGO certified store in Portugal

Claro que a loja tem mais coisas, mas também dediquei um bom tempo à conversa e por isso com certeza que me escapou algo! Aliás, tive mesmo que interromper uma interessante conversa com o Alex, a Paula e o Nuno para me preparar para ir embora e dedicar uma boa parte do dia para chegar a casa. O dia foi longo, mas sinceramente acho que valeu a pena a experiência já que, apesar de contra as minhas expectativas, senti que cresci mais um pouco no hobby. Com certeza que será um espaço a que voltarei quando tiver oportunidade :). No fundo esta ida a Lisboa fez sentir algo que os mais de vinte anos de hobby torna invulgar. Entusiasmo!

Opening Day of the first LEGO certified store in Portugal

ps. Entretanto o Alex também fez um excelente resumo na Play Well Portugal, podem ler aqui!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

Podcast Conversas em Construção: 32º episódio, a primeira LEGO Certified Store em Portugal!

por baixinho, em 03.09.22

O 32º episódio do podcast Conversas em Construção é bem diferente de todos os restantes. A equipa teve a honra de ser convidada para abertura da primeira loja certificada da LEGO em Portugal gravando um episódio momentos antes da abertura. O mote foi, claro, a abertura da loja e, por isso, contou com a presença do Nuno Albuquerque,  Area Manager Portugal da Percassi. A Percassi é a empresa italiana de franchising que, em parceria com a LEGO, gere várias lojas da marca no sul da Europa.

Na conversa estive eu, o Tiago Catarino, Youtuber, o Pedro Sequeira pelo site Bricknerd e o Olímpio Alexandre (Alex) pela Play Well Portugal.

Podem ouvir o episódio no Anchor e no Spotify!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:30

Amanhã abre a loja LEGO em Lisboa!!

por baixinho, em 01.09.22

Foto da futura loja LEGO em Lisboa

Como já tinha referido anteriormente, não é propriamente uma loja da LEGO, mas uma certificada a uma empresa italiana de franchising com que a empresa dinamarquesa tem uma parceria. Para os comuns dos mortais, vai dar praticamente ao mesmo já que as diferenças podem não ser relevantes para os compradores ocasionais. Para os mais entusiastas da marca poderá haver algumas diferenças nomeadamente nas promoções e pontos VIP, mas tendo em conta que tudo o que tem (pick a brick wall, build a minifigure, etc), acho que isso pode ser perdoado e até esquecido.

No entanto ao contrário do que já tinha referido, estou a planear ir à loja e logo no dia da inauguração :). Fui convidado a assistir à abertura e vou comparecer com todo o gosto. Apesar de as lojas LEGO (ou com LEGO) já não me cativarem como antigamente, a verdade é que sei que a presença de uma loja deste tipo é extremamente importante para uma larga faixa da comunidade AFOL em Portugal, já que facilita o acesso a artigos da marca e relacionados com a marca além de que reflete a importância deste hobby no país. Isso já é uma aspecto que me cativa já que continuo interessado no desenvolvimento do hobby no país.

Por isso amanhã lá estarei para assistir à abertura, para tirar umas fotografias e talvez fazer uns vídeos que depois disponibilizarei aqui e no meu canal de YouTube.

Ahhh, por último e, como sempre, não sendo o menos importante. Vou estar com o pessoal do podcast Conversas em Construção para gravar um episódio onde entrevistaremos o gerente da loja e comentarmos a nossas primeiras impressões sobre o espaço. Vai ser excelente porque vai ser a primeira vez que estamos todos juntos (eu, o Tiago, o Pedro e o Alex) ao vivo desde que começamos a gravar e, claro, com certeza que vai dar azo a alguma galhofa e boa disposição.

Agora sim, por fim a parte do press release que interessa:

Num mundo de peças e tijolos, os fãs vão poder encontrar várias surpresas, desde a decoração feita a pensar no nosso país aos sets mais procurados pelos fãs, incluindo os sets exclusivos das lojas oficiais, ofertas regulares em compras e a possibilidade de os compradores se registarem para poderem receber alguns sets mais cedo. Para celebrar a inauguração, a Lego vai ter ainda um presente especial, exclusivo da loja de Lisboa, para compras a partir dos 125 euros no dia 2 de Setembro, limitado ao stock existente.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Review: The LEGO Ideas Book, New Edition

por baixinho, em 31.08.22

The LEGO Ideas Book, New Edition (1)

Já algum tempo que não analisava um livro e sinceramente, sabe bem algo diferente de vez em quando. Esta é a nova edição do The LEGO Ideas Book de 2011, livro que conheço e que achei bastante interessante na altura já que pegava em construções de alguns AFOLs (entre outras) e mostrava ideias do que se pode fazer com peças LEGO com recurso a imensas imagens, ideias, anotações, conselhos, etc. Este livro faz o mesmo, mas com novos modelos e com um formato mais moderno e actual.

As 200 páginas deste livro com capa dura possuem um colorido muito agradável devido às excelentes fotografias que ilustram as construções. Além do texto descritivo, temos direito a várias legendas de pontos-chave, resumo da construção, dicas, pequenos desafios, etc. Tudo isto torna cada página num excelente manancial de ideias que nunca se devem limitar ao que está exposto. 

The LEGO Ideas Book, New Edition (2)

É exactamente este ponto que destaco (e também o faço no vídeo abaixo). O livro deve ser encarado como um ponto de partida e não como um vulgar livro de instruções de um set. As fotografias são excelentes na forma como mostram as construções e as maiores ou mais complexas tem sempre algumas imagens a mais com secções ou cortes. Tendo as peças todas, penso que qualquer um conseguiria montar todos os modelos do livro. Mas como devem imaginar, isso é difícil (e nem é essa a ideia) e por isso o livro vinca várias vezes para o olharmos como um conjunto de inspirações ou orientações. 

The LEGO Ideas Book, New Edition (3)

Inspirações e orientações que varrem imensos temas com uma variedade de estilos e técnicas espectacular. Confesso que não li/vi todas as páginas, mas nas que vi havia sempre algo novo para digerir.

Claro que uma boa parte das referências são infanto-juvenis. No entanto, e como referi acima, as ideias propostas devem ser vistas como pontos de partida e portanto podem ser encaminhadas para algo mais ao nosso gosto. Mas mesmo assim há várias páginas que, com certeza, irá agradar o pessoal mais velho já que refere temas mais próximos de nós ou contém técnicas de construção que nos desperta mais a atenção.

The LEGO Ideas Book, New Edition (4)

Apesar de 90% do livro serem este tipo de páginas com construções que servem de ponto de partida, há outras páginas que apesar de representarem uma pequena parte do livro, devem mesmo assim serem referenciadas. Falo da introdução que indica excelentes práticas para começarmos a construir MOCs e de alguns cuidados que devemos ter. No fim do livro temos entrevistas a AFOLs que colaboraram de alguma forma com o livro, entrevista a dois designers da LEGO e uma resumida, mas excelente para noviços, lista de tipos de peças para começar-se a categorizar e reconhecer os tipos, nomes e, principalmente, potencialidades! 

Ahh, aqui ficam duas construções que o meu filho fez, inspirando-se nas páginas mostradas. Sim, ainda estou embebecido com o bárbaro que ele fez a partir do super-entregador-de-pizzas!

The LEGO Ideas Book, New Edition (5)

The LEGO Ideas Book, New Edition (6)

Este é um livro que pode facilitar o início da construção livre e original que muitas vezes assusta alguns AFOLs. No geral poderá parecer algo infanto-juvenil, mas garanto que a grande maior parte das ideias propostas podem facilmente ser passadas para um ambiente interessante para os AFOLs. É uma excelente referência e imensamente agradável de ler e folhear à procura de ideias!

Conclusão 9/10

(Este conjunto foi fornecido para análise pela The LEGO Group, mas a review é da minha inteira responsabilidade)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:30

Terça-feira do Ideas: The Forest Village

por baixinho, em 30.08.22

O autor deste projecto, Hanwasyellowfirst, tem 9 contribuições no Ideas, sendo que 7 delas são projectos. Desses 7, 6 já chegaram aos 10 000 apoiantes e todos eles não foram aprovados. Será que vai acontecer o mesmo com o sétimo? :)

Esta colorida construção representa um pequeno casario medieval com alguns laivos de fantasia que o tornam bastante vistoso e agradável. Pessoalmente gosto dos vários níveis e da imponência que a torre emana. Apesar de vários detalhes que revelam técnicas interessantes (construções na diagonal e disposição dos rochedos), gosto da simplicidade das casas que não precisam de muito mais para serem bonitas. A disposição das minifiguras, animais e vegetação tornam o conjunto ainda mais vivo reforçando o ambiente amistoso da floresta.

Julgo que os designers teriam uma excelente oportunidade de aproveitar uma ideia com potencial e até acrescentar detalhes com técnicas de construção mais rebuscadas!

Neste momento este projecto tem 1 806 apoiantes e com 586 dias para chegar aos 10 000 (foi apresentado a 10 de Agosto). Aqui ficam as minhas previsões:

Chegará aos 10 000 apoiantes?

Com o currículo do autor, duvido é que não consiga!!

Se chegar aos 10 000 apoiantes, a LEGO irá torná-lo num set oficial?

Adoraria, mas neste caso o currículo do autor funciona em sentido inverso.

A ser um set oficial, entraria na minha wishlist?

Directamente para o topo. Tem tudo para se tornar num lindíssimo set!

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:30


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog


subscrever feeds