Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Review: LEGO 31208: Hokusai - The Great Wave

por baixinho, em 24.04.23

31208 Hokusai - The Great Wave (09)

Tema: Art

Ano de Edição: 2023

Número de Peças/Minifigs: 1810/-

Preço LEGO®: 100€

Link Brickset: https://brickset.com/sets/31208-1/Hokusai-The-Great-Wave

 

Nunca fiz segredo que mal foram reveladas as imagens, este conjunto passou de imediato para a minha wishlist. Ao ver este projecto no Ideas e depois de saber que a LEGO ia editar este set, fui saber um pouco mais sobre a obra através do extenso artigo na wikipédia em português.

31208 Hokusai - The Great Wave (03)

A leitura deste artigo fez com que surjisse um dos dois problemas que esta representação tem para mim. O monte Fuji não consegue impor-se na versão LEGO. Sim, o monte Fuji é o elo de ligação entre a coleção de 36 gravuras e se no original a sua presença é relevante tanto pela sua centralidade como por estar na linha de visão provocada pelo formato da onda. Na versão da LEGO o seu contraste em relação às ondas é esbatido e não se consegue impor como uma montanha e não como uma outra onda. Ou seja, se se conhecer que estamos perante o monte Fuji, as ideias encaixam-se e o problema é reduzido. Para quem não souber desse detalhe, será apenas mais uma onda e perde-se um efeito fundamental da obra.

Mas vamos deixar esse detalhe e passar para uma análise mais convencional, já que é de LEGO que estamos a falar.

31208 Hokusai - The Great Wave (04)

Este é um conjunto que tenta levar o formato LEGO Art um pouco mais além já que os primeiros conjuntos do tema apoiavam-se num formato de “mosaico” onde a única variação está na cor de uma mesma peça. Claro que não é o primeiro conjunto que sai desse molde, temos a famosa língua dos Rolling Stones, mas é provavelmente aquele em que o resultado é claramente melhor.

31208 Hokusai - The Great Wave (05)

A construção divide-se em 15 fases onde as primeiras onze são dedicadas ao quadro em si e as restantes quatro à moldura. Numa primeira fase vamos construir as seis bases que compõem o quadro cobrindo apenas com o primeiro nível de plates e pelas tiles redondas que representam o céu. É nesta altura que surge o segundo dos problemas que, segundo eu, este set possui. Quatro das bases do quadro são em fleshie e as outras duas em preto. A única zona visível dessa transição é ao redor do monte Fuji e apesar de não ser aparente numa visualização rápida, a verdade é que para quem constrói o efeito é demasiado forte. Aliás, neste momento não consigo olhar para o quadro e “desver” aquela quebra entre as duas cores. Sim, a solução é simples e passaria por construir um novo nível de plates com um degradê mais suave para a base das tiles. Fora isso, estas seis fases são muito semelhantes à construção dos primeiros conjuntos LEGO Art onde não passava de um assentar de peças. As fases seguintes da construção do quadro propriamente dito já são mais interessantes, mais devido à variedade de peças do que propriamente quanto às técnicas utilizadas. Sim, é extremamente prazeroso andar a colocar pombas e folhas brancas, entre outras peças, para emular os contornos marcadamente irregulares das ondas. Por fim, as últimas quatro fases são dedicadas à impressionante moldura mas que não é propriamente um portento técnico.

31208 Hokusai - The Great Wave (06)

Apesar da construção não ser propriamente um desafio expressivo para AFOLs, acredito que consiga entusiasmar o público em geral já que as partes monótonas são bem intercaladas com outras mais entusiasmantes.

31208 Hokusai - The Great Wave (07)

Mas a verdade é que se a experiência de construção pode ser chamada de “discreta”, o resultado é extremamente vistoso. Claro que a dimensão do quadro fez com que vários detalhes tenham sido omitidos ou até simplificados devido às limitações das peças LEGO. No entanto há que referir que as dimensões da versão original são muito próximas das utilizadas pela LEGO. Para terem uma ideia, a diferença não chega a um centímetro. Esse detalhe dá um sentido de realismo enorme à construção já que, ao longe, faz com que tenhamos uma percepção correcta do efeito da gravura.

31208 Hokusai - The Great Wave (08)

Falta apenas referir a questão das peças já que o PPP de 5,5 cêntimos é muito aliciante. Atenção, uma boa parte das peças é de pequena dimensão. Mesmo assim, há várias peças interessantíssimas, desde as bases (bricks 16x16) em fleshie, pombas brancas sem qualquer gravação e uma porrada de plates wedges. No entanto devo destacar mais o preço em si (100 euros) do que o PPP resultante, já que gostei que a LEGO conseguisse manter o valor do set sem cair na tentação de entrar em valores absurdos.

As Peças 9/10 (bom preço com algumas preciosidades)

A Construção 7/10 (não é propriamente aliciante para AFOLs)

O Desenho 10/10 (excelente interpretação)

Jogabilidade 10/10 (lindo para ser pendurado)

31208 Hokusai - The Great Wave (10)

A LEGO continua a conseguir ter excelentes conjuntos sem quebrar a fasquia dos 100 euros. Pode não ser propriamente indicado para fãs mais avançados, mas é sem dúvida alguma uma excelente adaptação de um quadro muito conhecido. O efeito depois de construído é soberbo.

Conclusão 9/10

(Este conjunto foi fornecido pela The LEGO Group, no entanto a análise é da minha inteira responsabilidade)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:27

Contos da Era Espacial

por baixinho, em 13.04.23

Yeps, este conjunto tem tudo a haver comigo.

Apreciei o projecto neste artigo e, na altura, não acreditava que a LEGO fosse lançar sob a forma de set. Posso dizer que fico muito contente por me ter enganado.

Sim, o conjunto é relativamente simples e a nível técnico não acrescenta muito. Aliás, arrisco a dizer que mesmo a nível de peças não é propriamente uma loucura. No entanto a nível estético é exactamente aquilo que me bate já que sou um amante de ficção científica da época dourada (anos 50 e 60) e estes pequenos postais transportam-me exactamente para lá (e não para os anos 80 como refere o press release). Já agora, o press release:

Alcance as estrelas com os novos LEGO Contos da Era Espacial

O Grupo LEGO revela um set destinado a descolar das prateleiras — o LEGO Ideas Contos da Era Espacial. Este conjunto expressa de forma minimalista a beleza do Universo, com o mesmo estilo visual dos pósteres clássicos dos anos 80, e expressa de maneira colorida episódios da era espacial com um design retro feito de tijolos LEGO.

O set de quatro peças do tamanho de um postal é vibrante e conta a história de um vaivém espacial, uma base lunar, um buraco negro, um eclipse lunar, diferentes constelações e muito mais. Além disso, proporciona muita flexibilidade na forma como pode ser organizado, uma vez que cada imagem é fisicamente independente das outras.

Projetado pelo fã de LEGO polaco Jan Woźnica, profissional de TI quando não está a construir com tijolos LEGO. Jan inspirou-se nos clássicos cartazes de ficção científica e capas de livros para criar este design.

Informação sobre o produto:

Idade: 18+

PVP recomendado: 49,99 €

Peças: 688

N.º do Produto: 21340

Dimensões: 10,4 cm x 14,7 cm (x4)

Disponível: 5 de maio para LEGO VIP, 8 de maio para todos

Hiperligação: www.lego.com/Space-Age

Em relação às diferenças para o original. Foi acrescentado um novo postal com uma representação moderna de um buraco negro. O que sinceramente é algo que não bate lá muito certo, já que este tipo de representação dos buracos negros não tem 10 anos. Mas pronto, erros de continuidade eram (e são) comuns neste tipo de filmes... Depois há o acerto da direcção do cometa para não ficar com o ar de que vai despenhar-se no planeta. As estrelas, que agora são conseguidas através de peças impressas, do quadro com o foguetão estão diferentes e, pelo que percebi, dá para tomar duas formas diferentes para representar a constelação de Cassiopeia ou a Ursa Maior/Menor. De resto as diferenças são ligeiras.

Sim, vai para o topo da minha wishlist.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 26)

por baixinho, em 12.04.23

Desta vez sem grandes preâmbulos, fica aqui a análise de mais um lote de cinco peças.

 

Green Brick 2 x 4

Esta talvez tenha sido a primeira peça que comecei a comprar em “grandes” quantidades. Basicamente apareceu-me uma oportunidade de comprar alguns 3461 em promoção e aproveitei. Devo ter comprado umas 200 ou 300 peças e na altura foi o suficiente para estar abastecido durante uns anos. Bons tempos onde todas as construções cabiam apenas num caixote.

A razão dessas compras era simples, na altura eu e a Tânia adorávamos construir o terreno para os MOCs (como na Casa Minhota) e estas peças eram fundamentais para o verde. Claro que com o tempo outras técnicas foram surgindo e rapidamente passamos a utilizar outras peças. Mas a verdade é que mesmo quando construí recentemente a pista de Motocross, não fui meigo em gastar umas dezenas destas peças.

A versão desta peça é de 1978 e em verde começou a aparecer em 1996, curiosamente num set que é a bandeira sul-africana. Desde aí já apareceu em 344 conjuntos e acho que pode-se considerar que é uma peça relativamente comum.

Muito útil na hora de construir terrenos, vale a pena ter um bom lote e casa.

3 em 3 estrelas

 

Dark Bluish Gray Wedge 6 x 4 Triple Inverted Curved

Para mim é um grande mistério a forma como esta peça foi escolhida para aparecer nos Pick and Builds deste mundo.

Além de ser de utilização bem específica, como é invertida a sua finalidade pode não ser imediata para os mais novos. 

A peça é de 2003 e nesta cor surgiu no ano seguinte. É a segunda cor mais comum com 68 conjuntos diferentes. Apesar de nunca ter chegado aos 10 sets por ano, continua a estar presente em todos os anos da última década.

É, sem dúvida alguma, útil em situações específicas e foi das primeiras peças curvas (wedges/slopes). No entanto, será que é necessário gastar uma slot com estas peças?

1 em 3 estrelas

 

Light Bluish Gray Plate 4 x 4

Já analisei a versão verde desta peça no vigésimo lote destes artigos e, como se devem lembrar, considerei a peça como excelente. Será que penso o mesmo da versão em LBG?

A peça é de 1970 e, como seria de esperar, esta versão é de 2004, ano em que esta cor foi introduzida. Desde aí teve a sua presença em 341 conjuntos. Como curiosidade a versão em cinzento antigo contou com 83 conjuntos a partir de 1978.

Apesar de o cinzento já não fazer parte do meu top de cores favoritas (pois, já não faço tantas naves espaciais), ainda assim é uma cor bastante versátil. Metal, cimento, pedra e outros materiais podem ser facilmente emulados por esta cor.

Portanto, cor versátil, peça versátil, o melhor é levar um bom lote delas para casa. De preferência já encaixadas para ocupar menos.

3 em 3 estrelas



Trans-Light Blue Rock 4 x 4 Crystal, Ice Snowflake

Ok, também poderia perguntar porque raios esta peça está no Pick And Build. Mas acho que a resposta é mais simples do que a peça que falei acima. As crianças reconhecem-na facilmente e assim conseguem dar-lhe uso. Bem, mais ou menos…

A verdade é que a peça não é assim de tão fácil utilização, já que o seu formato implica que para ser conectada haja do outro lado peças relativamente específicas. Além disso, o formato e cor fazem com que seja demasiado específica. Ok, estou a vê-la em construções natalícias ou ligadas a uma qualquer princesa Disney (blargh), mas e depois disso?

A peça é de 2002 (apareceu em conjuntos Belville e podia ter morrido com o tema) e nesta cor apenas apareceu em 2016. Desde aí já esteve em 19 conjuntos, sendo mais de metade deles em sets, como não deixaram de adivinhar, Disney.

Colocar duas ou três no copo não vá precisarmos delas para uma situação bem desesperada. Depois é esperar que a slot esvazie rapidamente para ser substituída por uma peça mais interessante

1 em 3 estrelas

 

White Slope, Curved 3 x 1

Esta é uma peça de 2004 e uma das primeiras na invasão das slopes curvas. Intenção clara da LEGO querer aumentar a qualidade estética das suas construções durante a segunda metade da década 00. Nunca sei como chamar essa década. Há os anos 60, 70, 80, 90 e depois? 

Continuemos.

Nesta cor aparece em 217 conjuntos desde 2004 e dá para afirmar que nos primeiros anos surgiu de forma tímida. Apenas em um e dois conjuntos respectivamente. O primeiro conjunto em que apareceu, o 7239 Fire Truck pode ser considerado especial por duas razões. Primeiro porque foi um dos conjuntos que definiu o standard de 6-wide para os veículos de cidade. Sim, era um gigante na altura. Segundo porque teve uma longevidade enorme. Lembro-me de ter estado disponível imenso tempo e fui verificar ao Brickset se a minha impressão confirmava-se. Sim, confirmava-se e por mais tempo do que estava à espera, já que segundo esse site de referência esteve à venda na loja oficial online até dezembro de 2011. Sete anos para um conjunto regular é obra!!

Voltando à peça, é útil para suavizar construções como, por exemplo, naves espaciais, aviões e outros veículos. Se gostam deste tipo de MOCs, vale a pena ter umas boas dezenas. Se vão para temas mais medievais, já pode ser uma peça de difícil utilização. Como é relativamente comum, também será fácil de encontrar de outras formas.

2 em 3 estrelas

 

Como sabem, estas análises reflectem a minha visão do hobby e, como sempre, fica o aviso que as peças podem não estar disponíveis na altura da vossa visita à loja. Fica aqui o link para um documento onde mantenho um registo das peças avistadas na loja.

Podem percorrer as análises anteriores através deste link.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:01

Review: LEGO 76989 Horizon Forbidden West: Tallneck

por baixinho, em 07.04.23

76989 Horizon Forbidden West Tallneck (8)

Tema: Icons

Ano de Edição: 2022

Número de Peças/Minifigs: 1222/1

Preço LEGO®: 90€

Link Brickset: https://brickset.com/sets/76989-1/Horizon-Forbidden-West-Tallneck

 

Horizon Forbidden quê?

Nunca tinha ouvido falar do jogo, portanto quando apareceram as primeiras imagens deste conjunto, o aspecto foi para mim uma completa surpresa.

76989 Horizon Forbidden West Tallneck (2)

Na altura dei uma leitura geral ao tema do jogo já que, confesso, o aspecto do bicho é muito interessante. Claro que não foi suficiente para despertar qualquer vontade em jogar o jogo (já deixei os videojogos há já algum tempo), mas isso não me impediu de ver uma história bem rica que, como muitas outras, não vai ser explorada por mim.

76989 Horizon Forbidden West Tallneck (3)

Portanto apreciei as imagens do set e coloquei-o de lado. No entanto, aos poucos fui cada vez ouvindo mais reacções positivas o que me fez olhar ainda mais atentamente. Durante uma das várias conversas soltas com o Venceslau Teixeira, colega na C0937, ele ofereceu-se para emprestar-me o seu Tallneck para eu analisar, oportunidade que não deixei escapar.

76989 Horizon Forbidden West Tallneck (4)

O conjunto tem um preço por peça de 7,3 cêntimos, o que faz arregalar o olho já que é um produto licenciado. Claro que devemos ter em conta que a percentagem de peças pequenas é apreciável. No entanto há que referir que é um Icons que não ultrapassa a barreira dos 100 euros, coisa que infelizmente a LEGO ultrapassa cada vez mais. Em termos de peças não consigo deixar de falar da espetacular minifig que está mesmo a pedir para ser transportada para MOCs. Seja a minifig inteira, seja qualquer uma das partes que a compõem. Há algumas peças exclusivas interessantes. No entanto, algumas delas são, com certeza, novas referências de peças que já existiam. Destaco as peças que compõem a superfície, a pouca vegetação e miríade de peças básicas ou semi-básicas que fazem com que este Tallneck tenha uma presença única. 

76989 Horizon Forbidden West Tallneck (5)

Única porque, fora algumas peças technic que suportam as secções mais finas, é tudo conseguido com peças relativamente comuns colocadas de forma a segurarem-se entre si. Para isso é utilizado SNOT q.b. tanto como forma de obter efeitos estéticos como de solidez da estrutura. Que bem precisa já que a forma do bicharoco é propícia a pontos fracos.

76989 Horizon Forbidden West Tallneck (1)

Aliás, é essa mesma forma que torna este set incomum. Acredito que o designer tenha tido algumas dores de cabeça para cumprir os parâmetros de estabilidade e robustez normalmente exigidos pela LEGO, para poder conseguir aproximar-se da figura original. Isso faz com que este set tenha o seu quê para além do tema.

76989 Horizon Forbidden West Tallneck (6)

Quanto à construção, as primeiras 3 fases são dedicadas à base. Algum SNOT para conseguir chegar ao formato oval e uma boa dispersão de cores fazem com que a base esteja muito bem conseguida. Gosto também da colocação de várias tiles para diminuir o ruído criado pelos studs. As 5 fases restantes são, como seria de esperar, dedicadas ao Tallneck propriamente dito. Começamos pelo torso, membros inferiores, pescoço, cabeça e depois alguns detalhes. A construção, como refiro acima, envolve SNOT e muitas peças semi-comuns. Não posso dizer que fiquei surpreendido com qualquer das fases, mas confirmo que a experiência é sempre fluida, mesmo quando temos que construir secções em espelho.

76989 Horizon Forbidden West Tallneck (7)

O resultado final é, acima de tudo, imponente. As dimensões do Tallneck são reforçadas tanto pela sua fisionomia “magricela” como pela presença da minifig que lhe dá uma escala. Vi algumas imagens do original e creio que o trabalho do designer é impecável. Conseguiu que a construção esteja perfeitamente reconhecível sendo suficientemente estável e ainda brincar com algumas peças interessantes. Tudo isto por menos de 100 euros.

As Peças 9/10 (bom lote com algumas preciosidades)

A Construção 9/10 (fluida)

O Desenho 10/10 (excelente compromisso entre o original e as peças LEGO)

Jogabilidade 8/10 (essencialmente para expor)

76989 Horizon Forbidden West Tallneck (9)

O maior feito deste conjunto é estar abaixo da fasquia dos 100 euros e mesmo assim cumprir todos os requisitos para um bom Icons. Boa experiência de construção, lote de peças variado e interessante e um bom efeito na prateleira.

Conclusão 9/10

 

(um obrigado ao Venceslau por este oportunidade!)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:38

18º Aniversário da Oficina dos Baixinhos

por baixinho, em 06.04.23

LegOficina 20230405

Pois, faz hoje 18 anos que eu e a Tânia começamos este projecto. Teve uma pausa algures entre 2010 e 2013. Em 2013 dei novo andamento, desta vez sozinho. De 2017 a 2022 tive o carimbo de RFLM, o que obrigou a deixar o nome original de LegOficina dos Baixinhos. Com a pandemia comecei o canal de Youtube que coloquei em pause no final do ano passado. Também tenho conta do Instagram, mas sinceramente acho que nunca lhe liguei muito 🙂. Nem está nos meus planos ligar.

Durante estes 18 anos foram 5191 posts, muitos deles escritos telegraficamente, outros mais entroncados. Mas sempre a tentar ser honesto na minha relação com o hobby

Ao deixar de ser RFLM o ritmo louco de reviews abrandou, o que fez com que dirigisse o blog para outras paragens. Surpreendentemente os artigos que tenho escrito sobre as peças do Pick and Build da loja lisboeta tem tido muita aceitação, o que me faz acreditar que afinal as peças LEGO ainda continuam a ter o seu interesse. Pelo menos aqui no blog facilmente ultrapassam os artigos de minifigs e sets em termos de visualizações.

Apesar de já estar instalado na minha nova LegOficina, a verdade é que não tenho conseguido estar a construir com as peças LEGO o tempo que desejava. Talvez por uma conjunção de pouco tempo em casa, muitas tarefas a fazer, trabalhar com LEGO, a interminável arrumação de peças, ambiente morno no hobby e outras preocupações e interesses, etc. Tudo isto contribui para o facto que apenas criei meia-dúzia de pequenas construções, nomeadamente para as minhas reviews de minifigs.

Nada que diminua a minha vontade de construir, talvez apenas os astros não se estão a alinhar para isso acontecer. Claro que vou continuar nas intermináveis arrumações, na construção de sets e escrever aqui de vez em quando, espaço que estará activo mais algum tempo. Sim, também falar pelos cotovelos no Conversas em Construção com o Alex, Tiago e Pedro, pessoal sempre bem disposto e que considero-os comparsas de hobby

Portanto, é esperar que os astros alinhem-se para começar a construir e relatar os resultados aqui, já que para mim este hobby é fundamentalmente isso (o construir, não o relatar).

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog


subscrever feeds