Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 22)

por baixinho, em 08.03.23

Parece-me que a longevidade destes artigos está assegurada já que continuo a surpreender-me com as novidades. Se o artigo anterior já reflectia isso, este vai pelo mesmo caminho.

Aqui ficam mais cinco peças com os habituais avisos de que segue a minha visão do hobby e que há a probabilidade de não encontrarem estas peças na loja na altura da vossa visita. Vale a pena seguir este documento para terem uma ideia do que anda por lá.

 

Green Brick, Round 2 x 2 with Axle Hole

Em verde? E porque não em castanho ou cinzento? Castanho porque haveria muitas mãos que as iriam tornar em árvores. Cinzento porque facilmente poderiam tornar-se em colunas, sejam em antigos templos gregos como em fachadas de monumentos contemporâneos.

Mas pronto, existe em verde e vamos lá ver o que se pode fazer com isto. Primeiro, a peça é de 1979 e nesta cor apenas apareceu em 2004. Desde aí fez parte de 70 conjuntos mas com uma média anual que nunca ultrapassou os 10 sets, havendo mesmo anos com 0! No entanto devo referir que o aparecimento desta peça nesta cor surge de forma curiosa. Em 2004 aparece listada em 2 sets, ambos peculiares. O primeiro é o do FLL, competição anual de robótica dedicada a crianças. O segundo é do conjunto 4562, um set que, segundo o Bricklink, era composto por 400 peças, 200 regulares que apareciam em todas caixas e as segundas 200 que variavam de caixa para caixa. Se percorrerem a página do Bricklink dedicada a este conjunto irão perceber a quantidade de peças estranhas que compõem esse segundo pack. Por exemplo, peças em cinzentos antigos no primeiro ano em que essas cores foram postas de lado.

Mas fora esta grande curiosidade, importa saber que a utilidade desta peça fica muito limitada devido à cor, mas que mesmo assim vale ter algumas unidades lá em casa. Pergunto-me se isso justifica ocupar uma slot?

1 em 3 estrelas

 

Dark Tan Plate, Round 1 x 2 with Open Studs

Quando esta peça saiu, em 2018, entrou logo para a minha lista de preferências. Além de ser bonita e ficar bem em paredes para criar algum ruído, a verdade é que a conjunção de algumas é suficiente para colocar um stud em qualquer ponto fora da habitual grelha LEGO. Sim, imaginem um jumper que não se limita ao ponto intermédio entre dois studs. Apesar dessa vantagem ter sido logo utilizada no Corner Garage de 2019, a verdade é que não vejo os designers a utilizarem-na muito para esse efeito. Eu próprio também não o faço, provavelmente porque parece que no LEGO também temos alguma aversão a contas que resultam em números que teimam a não ter apenas uma casa decimal.

Nesta cor a peça já saiu em 61 conjuntos. Curiosamente em 2018 só apareceu uma única vez (num conjunto Star Wars), mas desde aí a sua presença tem sido crescente.

Apesar da sua potencialidade demasiado grande para ser abarcada por um AFOL comum, a verdade é que continua a ser uma peça útil devido à sua capacidade de criar texturas diferentes e pela presença de studs furados que permite um bom lote de conexões. Colocaria uma boa mão-cheia no copo!

3 em 3 estrelas

 

Yellowish Green Brick, Modified 1 x 1 x 1 2/3 with Studs on Side

Verde amarelado? Que raio de cor.

Por acaso estou bem habituado a ela já que costumo realizar algumas actividades no meu trabalho com a malinha amarela e esta peça é utilizada de forma muito peculiar como motores a jacto. Por falar em malinha amarela, já repararam que é um conjunto de 2018 e que, segundo o Brickset, ainda não foi anunciada a sua retirada do mercado? Isto sim, é um caso de longevidade!

A peça saiu em 2017 e de certa forma foi um esperado desenvolvimento da sua irmã mais gorda. Claro que acrescentou nova possibilidade de SNOT, mas não obteve o factor wow que, se calhar, merecia. Apesar da sua capacidade de criar superfícies em SNOT, vejo-a mais como uma forma de suportar efeitos. Talvez isso se deva a que a sua irmã mais gordinha tenha a capacidade de criar superfícies mais sólidas.

Como escrevi acima, a peça é de 2017 e esta versão de 2018. Desde aí apareceu em apenas 9 conjuntos e em vários deles ficava escondida atrás de outras peças. É caso para dizer, não seria interessante tê-la noutra cor?

Esta é a única razão que me faz torcer o nariz à sua presença na parede mais bonita de Lisboa. A peça é útil e facilmente poderá dar jeito em vários tipos de construção. Só que a cor (ou mais propriamente, a falta de variedade de peças nesta cor) faz com que a sua utilização se limite a ser feita quando não fica à vista.

2 em 3 estrelas

 

Magenta Plant Leaves 2 x 2 with 4 Petals and Axle Hole

Pelas fotos a peça parece ser Magenta, mas existe a variedade de Dark Pink, o que para mim é uma cor muito próxima. De qualquer forma ambas cores têm um percurso muito próximo. Vou limitar-me à magenta, mas se tiver enganado, o que não seria a primeira vez, corrijo num dos artigos seguintes.

A peça é, surpreendentemente para mim, de 2014. Esta versão em magenta aparece pela primeira vez em 2021 no Flower Bouquet da Botanical Collection e num qualquer livro Disney que já remeti para o esquecimento. Desde aí já assombrou 3 outros sets.

Não consigo entrever uma utilização diversificada para esta peça, tanto pela cor como pelo formato.

1 em 3 estrelas

 

Black Plate 6 x 8

Não, não aprecio a cor, mas esta peça é extremamente útil na altura de construir e a maior parte das vezes até fica escondida, o que faz com que a cor seja irrelevante.

Na minha infância julgo que tinha algumas unidades herdadas dos meus irmãos mais velhos, provavelmente provenientes do velhinho 345. As peças eram tão utilizadas que estavam de tal forma gastas que os cantos estavam todos embotados. A razão era simples, eram as plates com maior área da colecção e isso fazia com que fossem utilizadas numa enorme variedade de situações. Fundo do casco de navios, base dos andares dos prédios, asas de aviões entre outras construções que vergonhosamente já me esqueci.

Claro que agora há uma maior disponibilidade de plates com uma boa dimensão. Estranhamente, ou talvez não já que ocupam um bom espaço, no Pick & Build este tipo de peças não é vulgar. Além desta temos a irmã gémea branca e o irmão um pouco maior em LBG (8x8 analisado aqui) o que poderá ser pouco tendo em conta a versatilidade e utilidade deste tipo de peças na hora de construir.

Por isso sim, é uma peça extremamente importante e vale a pena encaixar umas 8 ou 10 e pormos no fundo do copo e depois rodeá-la com peças pequeninas para aproveitar os espaços criados.

Surgiu em 1958 e a versão em preto teve a sua estreia em 1969 em dois sets, sendo um deles o tal 345 que falei acima. Desde aí já habitou 280 conjuntos e continua bem de saúde já que no ano passado bateu o seu recorde pessoal com a presença em 15 sets!

3 em 3 estrelas

 

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 1)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 2)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 3)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 4)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 5)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 6)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 7)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 8)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 9)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 10)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 11)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 12)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 13)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 14)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 15)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 16)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 17)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 18)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 19)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 20)

Análise das peças do Pick & Build Lisboa (Parte 21)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:32



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog