Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 5 de 5)

por baixinho, em 13.03.20

Sem mais delongas, aqui estão os dois primeiros lugares!

2º Assembly Square

O Assembly Square é, até à data, o maior de todos os modulares. Construído numa base e meia, o que deve irritar solenemente aquele pessoal mais quadradão, serviu para comemorar o décimo aniversário da série bem como para homenagear os vários modulares anteriores. Pessoalmente considero-o um compêndio de técnicas avançadas e originais de tantos os momentos wows que provoca enquanto o construímos.

Este é um dos melhores sets para oferecer a alguém que pensamos que pode vir a ser AFOL. Tem tudo aquilo que um set LEGO necessita para ser considerado interessante e para não ser visto como apenas um brinquedo.

O meu primeiro ponto memorável é mesmo a área que ocupa, uma baseplate e meia. Algo único até agora na série de modulares. O segundo ponto memorável são as miniaturas imediatamente reconhecíveis dos três primeiros modulares, Cafe Corner, Market Street e Green Grocer.

 

1º Cafe Corner

Para quem me conhece não é propriamente uma surpresa classificar o Cafe Corner como o melhor modular de sempre. 

Sim, em termos de design está algo datado, nem interiores têm e as traseiras são simplesmente inexistentes. No entanto há que referir que como set experimental que foi, os constrangimentos em termos de variedade de peças foram enormes. Tantos que apresenta alguns erros como janelas sem vidros ou peças em cores não esperadas.

Mas para perceber a importância deste set há que o enquadrar a nível histórico. O fenómeno AFOL começa a tornar-se algo relevante com o lançamento dos primeiros sets Star Wars na viragem do século. No entanto esse fenómeno não é logo acompanhado pela empresa LEGO e até é algo muito discutível internamente onde vários departamentos até demonstram desconfiança em relação a essa evolução. O trabalho pioneiro de alguns funcionários da LEGO, por exemplo os norte-americanos Brad Justus e Jake McKee, começam a abrir caminho e o ingresso de alguns AFOLs, como o próprio Jamie Berard ou o Mark Stafford, como LEGO Designers geram uma dinâmica nova na concepção de sets. É que na altura além dos conjuntos serem criados nomeadamente para crianças, eram desenhados maioritariamente por pessoas que apenas estavam ligadas ao mundo LEGO pelo trabalho.

Isto resultava que o panorama em termos de sets LEGO para um AFOL era algo pobre. Star Wars estava relativamente bem representado, alguns comboios (alguns deles desenhados com AFOLs como o James Mathis) e um ou outro set D2C iam animando as hostes. Mas todos eles eram, de alguma forma, ainda uma extensão do que a LEGO fazia para as crianças. Principalmente na técnicas de construção utilizadas que eram algo conservadoras.

Além disso a LEGO tinha estado numa forte crise financeira (e de valores) uns parcos anos antes, o que tinha levado a um completo desnorte quanto a temas e sets. Não, não foi só o Galidor que manchou a LEGO, a maior parte dos conjuntos que apareciam nesses anos só serviam para peças e às vezes nem isso.

Portanto é num panorama fraco, sim já em crescimento mas ainda fraco, que surge o Cafe Corner.

Lembro-me perfeitamente em Janeiro de 2007 ter recebido a primeira imagem do set bem como de um sketch. Na altura nem eu nem a Tânia éramos LEGO Ambassador mas tivemos alguém conhecido que era que nos facultou as imagens (yah, leaks). Quando as recebemos estávamos com outro AFOL em casa, o Zé “Ups” Pedro, e ficamos os três durante largos minutos a apreciar e a discutir sobre este set que parecia um MOC.

Porque era isso mesmo, um set que mais parecia um MOC de um AFOL dotado do que um conjunto habitual da LEGO.

Uns dias antes o anúncio num evento alemão de um novo sistema de modulares tinha passado relativamente despercebido (https://news.lugnet.com/ambassadors/?n=70) e, para grande pena minha, não consigo agora encontrar as fotos que acompanhavam esse anúncio.

Depois do lançamento e do sucesso do Cafe Corner junto dos AFOLs e não só, a LEGO, como um todo, começou a perceber melhor o potencial do fenómeno AFOL não só como uma forma de aumentar as vendas com sets não licenciados mas também, e principalmente, uma forma de aumentar a qualidade e originalidade dos seus sets. Não era só a questão de os sets serem mais direccionados para os adultos, era também a questão que a própria experiência de construir um set deveria ser cativante para os adultos.

Claro que o Cafe Corner não foi o único set a impulsionar este movimento na LEGO (alguns comboios, o 10027 Train Engine Shed de 2003 ou o 3739 Blacksmith Shop de 2002 são bons exemplos disso) mas é sem dúvida alguma o marco mais notável e importante. Para quem aprecia um set LEGO como uma experiência de construção haverá sempre um antes e um depois do lançamento do Cafe Corner.

Isso faz deste set não só o mais importante dos modulares como um dos conjuntos LEGO mais importantes de sempre.


Termina aqui a minha lista dos melhores modulares de sempre. Facilmente deixei de fora alguns modulares por achá-los notoriamente fracos em relação à média do tema (caso do 10232 Palace Cinema e do 10224 Town Hall) ou por serem demasiado recentes para se perceber o impacto (10264 Corner Garage e 10270 Bookshop).

Como disse no primeiro post desta série, a lista é acima de tudo pessoal e reflecte não só os meus gostos mas também a minha experiência de mais de 20 anos de AFOL.

Podem ver a lista de todos os Modulares no Brickset aqui.

 

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 1 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 2 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 3 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 4 de 5)

Inquérito: Quais os melhores modulares da LEGO.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog


subscrever feeds