Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Os 10 menores temas LEGO de sempre

por baixinho, em 18.03.16

A partir do final do século passado a LEGO começou a derivar imenso no lançamento de temas. Se antes a LEGO concentrava-se no DuploTechnic - para os públicos mais novos e mais velhos respectivamente - e depois o grande público-alvo era objeto apenas dos conjuntos dos temas Town, CastleSpace e Fabuland. Isto ano após ano mas, claro, com os seus subtemas. Fabuland infelizmente acabou por cair em 1989 e apartir daí a LEGO começou a experimentar novos cenários. Pirates que ainda teve uma década de lançamentos contínuos, Primo, Adventurers e tantos que se torna quase impossível listar num texto que se quer relativamente pequeno. Em 1999 a LEGO lança-se ainda num novo mundo, os dos temas licenciados. Primeiro com Star Wars, no ano seguinte com o Mickey Mouse da Disney, no seguinte ainda com Harry Potter e depois imensos outros que aparecem e desaparecem quase sem deixar rastro.


Este artigo foca-se nesses mesmos temas, sejam licenciados ou não, os que aparecem e desaparecem quase que sem darmos por ela.


Utilizei a base de dados e forma de classificação do Bricklink para esta pequena pesquisa. Provavelmente chegaria a resultados diferentes se utilizasse o sistema de classificação do Brickset ou do Brickipedia. Não considerei os subtemas e também não considerei temas que ainda estão abertos, como por exemplo o GhostBusters, que neste momento conta apenas com um set, o 75827 Firehouse Headquarters. Na mesma situação estão os temas The SimpsonsScooby-DooThe Angry Birds Movie que neste momento contam com 2, 6 e 6 conjuntos respectivamente, mas que num futuro próximo poderão ter mais alguns. Não considerei também o tema Universe (6 sets segundo o Bricklink) já que não foi lançado qualquer conjunto regular e é composto apenas por ofertas.


 



Em primeiro lugar neste top está um tema licenciado, o Avatar: The Last Airbender. O tema Avatar é baseado numa série de desenhos animados famosa na primeira década deste século que pertencia ao canal Nickelodeon. A LEGO licenciou este tema e de forma surpreendente apenas lançou dois conjuntos (3828 Air Temple e o 3829 Fire Nation Temple), ambos de 2006 e apenas no mercado norte-americano. Existem algumas informações que este tema seria apenas de teste em conjunto com a primeira vaga de conjuntos do SpongeBob SquarePants (ambos da Nickelodeon) para que apenas um deles continuasse. O que aconteceu até 2012 com o SpongeBob, mas com vagas de poucos sets por ano e muitas vezes com o mesmo edifício (O Bikini Botton teve direito a três sets).


 



 Em segundo lugar temos 4 temas com quatro conjuntos cada. O mais antigo é o Spybotics de 2002 que era composto por quatro robôs programáveis que poderão ser vistos como uma versão juniorizada do Mindstorms. Basicamente com menos capacidades mas mais simples de por em acção. O seguinte tema é o Inventor de 2003 onde os quatro conjuntos continham sempre mecanismos que serviam para animar construções muito próximas do que é feito hoje em dia no tema Creator. De notar que o maior deles, o 4095 Record and Play, tinha uma espécie de computador que de certa forma gravava os movimentos feitos para os reproduzir mais tarde. O tema inspirado no filme Speed Racer é o seguinte desta lista. O filme não teve grande sucesso e parece-me que o tema LEGO, lançado no ano do filme em 2008, seguiu-lhe as pegadas. Os quatro conjuntos são basicamente constituídos pelos principais veículos que aparecem na película. Há que salientar que o tema introduziu algumas peças que ainda hoje são bastante utilizadas. Com quatro conjuntos temos por fim o Fusion, tema de 2014. Este tema pretendia aliar a utilização dos tablets/smartphones e a construção com peças reais de uma forma inovadora. Apesar de todo o buzz inicial, o tema não deve ter tido grande sucesso. O buzz rapidamente desapareceu e não foram lançados mais conjuntos além dos iniciais.


 



 Em quinto lugar termos três temas com cinco conjuntos cada. Curiosamente dois destes temas podem ser considerados irmãos, já que foram lançados ambos em 2005, tem a mesma temática, apenas são dirigidos a públicos diferentes. Temos então o Dino Attack, lançado na América do norte, onde meia-dúzia de minifigs combatem dinossauros gigantes de uma forma bem bélica. Por outro lado temos o Dino 2010 onde os mesmos minifigs combatem os mesmos dinossauros mas agora de uma forma não tão mortal já que pretendem apenas capturá-los. Este último tema, como se pode imaginar, foi dirigido ao público europeu. Não se conhece se esta medida teve sucesso, no entanto a LEGO nunca mais fez algo do género, apesar de continuar a ter apostas diferentes conforme o mercado. O tema restante com 5 conjuntos (e um pack) é o Disney’s Mickey Mouse lançado em 2000. Este tema aproveita muitos dos moldes e características do extinto Fabuland, mas de algum modo não consegue ganhar continuidade e dura apenas um ano.


 



 Com seis conjuntos e em nono e último lugar deste top temos 2 temas, ambos licenciados e ambos de 2010. Baseado numa série de TV infantil temos o tema Ben 10 que é composto apenas por grandes figuras ao estilo Bionicle/Hero Factory. Este tema pouco atraiu a Comunidade AFOL e passou completamente despercebido a muitos. Isso já não aconteceu com o seguinte tema, desta vez baseado num filme (por sua vez baseado num jogo de computador), o Prince of Persia. O filme não teve grande sucesso e o tema, apesar de interessante, também viu vários dos seus conjuntos a entrarem em saldos. De notar que este é outro tema que introduziu peças interessantes além de dois animais bem raros, a avestruz e o camelo.


 


Estes são 10 temas que além de terem poucos conjuntos, pouco duraram nas prateleiras das lojas de brinquedos mostrando que não foram o sucesso comercial que se esperava. Alguns claramente por falta de qualidade, outros por se calhar estarem além (sim, além) das expectativas dos clientes, outros ainda levados pelo fracasso nas bilheteiras dos filmes que os suportavam.


Será que valeram a pena?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:20


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.



Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog


subscrever feeds