Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Montar e pintar kits

por baixinho, em 22.04.19

All finished painting the Hammerhead Corvette

Lembro-me de uma altura (+- 25 anos atrás) que andei curioso quanto aos kits. Como na altura o dinheiro não abundava, nunca cheguei a avançar com isso. Isso e a forte convicção que não devo ter jeito nenhum para pintar.

Esta criação do legotrooper501st representa parte desse hobby em que destaco claramente a composição do material fotografado.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 11:13

Forever

por baixinho, em 02.09.17

Hoje ao dar uma vista de olhos nos meu Feedly dei com este post no FBTB.

Ace Kim é "velho" na comunidade AFOL mundial já que foi ele que iniciou umas das comunidades mais interessantes no início da massificação deste glorioso hobby. Claro que já estou habituado ao afastamento do hobby por parte de alguns AFOLs, tanto na comunidade internacional como até mais próximo como na Comunidade 0937. Como o Ace indica, muitas vezes não há uma resposta simples para este fenómeno, já que depende de vários factores, muitas vezes sem nenhum deles se destacar.

A decisão do Ace (que podemos chamar de um "afastamento moderado") parece um pouco confusa. Percebo a necessidade de ele não deixar completamente de lado o FBTB.. mas não sei até que ponto a inclusão de temas não LEGO no site será benéfico a longo prazo. Não tanto em termos de afluência (que provavelmente até aumentará), mas na dispersão da identidade de um grupo.

Não nego que o interesse neste assunto não vem só da minha habitual curiosidade quanto ao aspecto histórico e social do hobby. Deve-se também ao meu próprio afastamento físico. Não tanto do hobby na sua totalidade, mas da sua parte mais importante, criar construindo.

Estar apenas na LegOficina uns dias por mês (a maior parte das vezes apenas algumas horas) elimina a minha disposição para a construção. Ok, eu sei que poderia construir virtualmente ou às prestações, mas não é exactamente o que eu procuro quando quero criar construindo com peças LEGO.

Mas mesmo assim sinto-me ligado ao LEGO. Entusiasmado com os eventos organizados pela Comunidade 0937; atento ao que se vai construindo lá fora (apesar de forma limitada, já que a quantidade de MOCs é uma avalanche diária); atento a parte da enorme catadupa de notícias LEGO; e, até, de alguma forma sentindo-me capaz de manter este espaço.

Portanto vejo mais a minha situação como uma provação para ser ultrapassada. Aliás, até ando com vontade de criar mecanismos de a tornear :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 10:52

Como tornar-se um construtor de MOCs

por baixinho, em 01.02.16


A principal característica do brinquedo LEGO que me fez tornar um AFOL foi sem dúvida alguma a possibilidade de criar algo novo, de construir o que quiser. Nestes muitos anos de AFOL já criei naves, castelos, edifícios, aviões, barcos, etc e não tenciono ficar por aqui. A brincadeira é limitada pela imaginação, e isso não me falta.


Por isso levei (imenso) tempo a perceber que nem todos os AFOLs viam o LEGO como eu via, uma ferramenta para criar. Ok, coleccionismo é interessante, a procura de completar a colecção, o estudar a evolução do objecto, a procura de raridades, a compra e venda, etc. Mas isso acontece com o LEGO como acontece com qualquer outro tipo de coleccionismo. No criar é que está a (grande) diferença.


Portanto durante muito tempo achei estranho haverem mais coleccionadores de LEGO do que construtores.. e pouco a pouco fui apercebendo-me que o problema estava mesmo no "criar". Pelos vistos nem toda a gente está à vontade com isso.


Desde que me lembro que utilizo as peças LEGO para criar. Talvez porque comecei a colecção com as peças herdadas dos meus irmãos e não haviam instruções para nada. Portanto tive logo que por-me a construir coisas se queria dar utilidade às peças que tinha. Claro que depois tive alguns conjuntos, mas a verdade é que pouco duravam já que as peças eram preciosas para construir outras coisas.


E quando me tornei um AFOL continuei igual, esventrei imensos sets (alguns verdadeiras preciosidades que ainda encontrava em lojas, como Classic Space, Classic Castle, os primeiros Pirates e até mesmo o Café Corner) já que precisava de peças para construir. Se no início ainda pensava que poderia reconstruir o set quando me apetecesse (já que tinha as peças e as instruções), na verdade nunca o fiz :)


Mas voltando atrás, cada vez mais fico com a impressão que não existem mais construtores, pessoas que realmente utilizam o LEGO para o que ele serve, porque há dificuldade em construir. Coisa que para mim é natural e onde tiro o maior prazer neste hobby.


Tão natural que li este artigo no BrickPile com bastante interesse. Explica de uma forma bem sucinta como alguém que não constrói MOCs o pode fazer. Aconselho a qualquer AFOL (seja construtor ou, principalmente, coleccionador) a dar uma vista de olhos e, talvez, começar a construir qualquer coisa :)


(a fotografia é do meu primeiro MOC como AFOL)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:29

Um Hobby para tornar o ócio criativo

por baixinho, em 21.05.14

 



 


 


 


Adolfo Freitas, membro do LUG Brasil, escreveu um artigo muito interessante sobre o conceito de hobby e como o LEGO se pode tornar um foco de criatividade útil para o dia-a-dia. Podem ler o artigo completo nesta página do site do LUG Brasil.


De notar que, nos últimos tempos, andam a escrever alguns artigos bem interessantes na LUG Brasil!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:39


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog


subscrever feeds