Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


Paris Boulangerie & Studio

por baixinho, em 23.04.20

Paris Boulengerie & Studio

Lembram-se do pub inglês que o Alexis Tkel86 dos Santos publicou há cerca de duas semanas atrás? Pois, voltou a visitar uma capital europeias, desta vez Paris, criando um magnífico modular.

Como no MOC anterior, o edifício além de ter uma fachada bastante interessante em termos de realismo e pormenores tem uns interiores que são um mimo. Também como o modelo anterior, podem adquirir as instruções no Rebrickable.

Paris Boulengerie & Studio

Agora resta-nos a esperança do Alexis visitar outras capitais europeias... de preferência, todas!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:39

London Pub

por baixinho, em 07.04.20

London Pub Exterior

Magnífica construção do Alexis que reproduz de forma bastante interessante os pubs ingleses.

London Pub Modules

Os interiores são bem característicos e detalhados. O bar, a cabine telefónica, as paredes interiores, as coisas em cima das mesas, tudo detalhes que poderiam estar num modular oficial.

Pessoalmente adoro a forma suave como a esquina foi construída.

Podem adquirir as incstruções para esta precisiodade no Rebrickable!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Review do 10270 Bookshop

por baixinho, em 27.03.20

10270 Bookshop 1

Tema: Creator Expert

Ano de Edição: 2020

Número de Peças/Minifigs: 2504/5 

Preço LEGO®: 159.99€

Link Brickset: https://brickset.com/sets/10270-1/Bookshop

Todos os anos a LEGO lança um novo modular, um acontecimento seguido por milhares de AFOLs tornando esta linha talvez a mais prestigiada da empresa. Este ano foi a vez de uma pequena livraria acompanhada por uma casa de chá sendo edifícios independentes em bases 16*32, ou seja, um set duplo à semelhança do que tinha acontecido em 2011 com o 10218 Pet Shop e em 2007 com o 10190 Market Street. Mas a reacção dos fãs não foi nada unânime. Se por um lado ambos edifícios são extremamente bonitos, por outro lado são relativamente pequenos e a traseira é extremamente pobre. Mas estas características não são suficientes para avaliar este set, um trabalho do designer estreante nesta linha, Wes Talbott.

10270 Bookshop 3

Comecemos pelas peças que ficam com um PPP próximo de uns agradáveis 6.4 cêntimos. As peças exclusivas (capa do livro, número da porta, tiles do letreiro da livraria, cabelo da mulher e o camaleão) não são propriamente capazes de criar furor, no entanto temos alguns lotes de peças interessantes. Bem interessantes. Sejam os incomuns bricks em Bright Bluish Green (o famoso teal) ou os mais comuns bricks em Medium Nougat (dark flesh) ou até a quantidade de peças em cores mais vulgares como o tan, azul escuro, cinzento claro, vermelho escuro ou castanho. Cores com um número de peças apreciável que fazem com que sejam mais fáceis de utilizar. Foras as peças exclusivas impressas, não temos peças deste ano. As peças mais recentes são do ano passado onde destaco duas unidades em preto da 41682 plate 2x2 com plate 1x2 na vertical e as muitas (60 em cinzento claro, 4 em laranja e 7 em preto) da ornamental 49307. Destaco também as peças para a vegetação, as janelas em branco (que fazem sempre falta) e em teal e os vários microfones (4 em preto e 2 em cinzento claro + extras) sem qualquer impressão que são óptimos para efeitos ornamentais. Por fim devo salientar a distribuição do tipo e quantidade de peças que me parece excelente para construir originalmente sem recorrer a outros sets.

10270 Bookshop 4

Gosto das minifigs mas num set deste género parecem-me sempre algo secundárias.

10270 Bookshop 5

A construção é dividida em dois livros (um para cada casa) e envolve oito fases, quatro para cada edifício. Como é habitual nos modulares, o começo de cada casa é, no meu entender, o mais monótono já que se limita a colocar as tiles na baseplate e a delimitar a área do edifício. Após isso começa o interesse ao começarmos a fachada, pormenores no interior e as necessárias, e por vezes desinteressantes, paredes. Enquanto o primeiro edifício tem uma construção mais interessante no interior (escadas em caracol que não são propriamente uma novidade, mobiliário da livraria, o desproporcionado sofá e a vulgar cama) o segundo edifício brilha com a fachada (escadas exteriores de acesso à porta principal, as cenas triangulares em cima das portas e janelas e que não sei o nome, a janela proeminente e o telhado que afinal não resulta tão bem como parece). Apesar da construção ser relativamente interessante, fora as escadas exteriores do segundo edifício não tive nenhum momento wow, algo que aconteceu várias vezes nos dois modulares anteriores (10260 Downtown Diner e 10264 Corner Garage). Há uma boa aplicação das técnicas para efeitos visuais, principalmente nas fachadas, mas fora as escadas exteriores não consegui sentir o estar a construir algo para depois ficar maravilhado em como tudo encaixa, tudo bate certo.

10270 Bookshop 2

No entanto em termos de design, as fachadas dos edifícios são extremamente bonitas, os interiores vão desde os excelentes (ambos os rés-do-chão) aos parcos (porão do segundo edifício) com algumas escolhas duvidosas (camas e gigantesco sofá). Poderia omitir as traseiras, mas são tão ridículas que evidentemente não tiveram o trabalho que mereciam. É que visualmente descompensam tanto os edifícios que são claramente um ponto negativo. Um pouco mais de trabalho teria com certeza um resultado imensamente positivo.

10270 Bookshop 6

Quanto à jogabilidade posso avaliar três aspectos. Primeiro a re-usabilidade das peças, que me parece bastante boa já que tem uma variedade e distribuição (entre peças mais básicas e mais específicas) interessante. Em segundo a forma como o set encaixa noutros conjuntos do tema para efeitos de exposição, aspecto que me parece excelente. Por fim a jogabilidade mais clássica, ou seja se o conteúdo é capaz de gerar brincadeiras e histórias o que neste caso parece-me também excelente.

As Peças 8/10 (distribuição interessante mas sem surpreender)

A Construção 7/10 (poucos momentos wow)

O Desenho 7/10 (aquelas traseiras afundam qualquer coisa)

Jogabilidade 9/10 (brinca-se, expõem-se e pode servir para criar construções originais)

10270 Bookshop 7

É sem dúvida alguma um modular muito bonito... Se não o virarmos para ver as traseiras. A construção possui alguns momentos interessantes, mas não tantos como se poderia esperar num set deste tema.

É um set acima da média e que ficará bem em conjuntos com os restantes modulares. No entanto não é um state of art em termos de técnicas de construção como outros do tema. 

Conclusão 8/10

10270 Bookshop 8

10270 Bookshop 10

10270 Bookshop 12


(Este conjunto foi fornecido para análise pela The LEGO Group, mas a review é da minha inteira responsabilidade)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00

Resultados da sondagem dos melhores modulares LEGO (parte 2 de 2)

por baixinho, em 25.03.20

Não foi bem no dia seguinte, mas aqui fica a segunda e última parte (primeira parte aqui) da apresentação dos resultados da sondagem dos melhores modulares realizadas pela Oficina dos Baixinhos e pela Play Well Portugal (ver apresentação dos resultados pela Play Well Portugal aqui).

Decidi fazer esta segunda parte para descrever algumas impressões gerais com que fiquei com os resultados da sondagem. Para isso vou apoiar-me em alguns gráficos para melhor me expressar. Claro que sei que o número de participantes foi diminuto, mas penso que não é muita ousadia projectar os resultados para um nível mais global.

Neste primeiro gráfico temos o total de pontos de cada modular. Tendo em conta que cada um dos modulares indica um ano (exceptuando o Cafe Corner e o Market Street que foram editados no mesmo ano), podemos ter uma visão geral da evolução do tema. É clara a divisão do tema em quatro eras que coincidem com o envolvimento do Jamie Berard no desenho dos sets. A primeira era inicia-se com o Cafe Corner e termina com o Pet Shop, já que se inclui o Market Street desenhado pelo Erik Brok mas com o envolvimento do Jamie. Na segunda era temos apenas o Town Hall e o Palace Cinema desenhados pela Astrid Graabaek (com o envolvimento do Sir Nadroj no último deles). Na terceira era temos o regresso do Jamie ao tema com quatro conjuntos, do Parisian Restaurant ao Assembly Square. Por fim temos a quarta e última era com três modulares de três designers diferentes. Mike Psiaki para o Downtown Diner, Lars Joe para o Corner Garage e Wes Talbot para o Bookshop (curiosamente o primeiro modular a ter um nome composto apenas por uma palavra).

O mesmo gráfico serve também para obter outras impressões. Há uma preferência decrescente na primeira era (ignorando o Market Street, reflexo de um processo de desenho diferente); os modulares da Astrid não acolheram muitas preferências; o regresso do Jamie ao tema aliado a um aliviar das restrições em termos de peças para este tema resulta naquilo que se pode chamar a era de ouro dos modulares. A última era, apesar de eu achar que ainda é muito cedo para grandes conclusões, não está a reunir grande consenso entre o fãs.

Neste segundo gráfico vemos o nº de participantes que votou em cada um dos modulares. A variação na segunda, terceira e quarta era é mínima mas a variação que existe na primeira era é, no mínimo, curiosa. O Cafe Corner deixa ser o mais destacado para ceder esse lugar ao, inesperadamente para mim, Grand Emporium. Creio que a causa é simples de explicar, a quantidade de pessoas que realmente possuem ou construíram os sets é, como se sabe, diminuta nos dois primeiros (que tiveram edições mais limitadas) e depois vai crescendo conforme o sucesso da linha vai estabelecendo-se.

O terceiro gráfico mostra o número de favoritos (primeiros lugares) que cada um dos modulares obteve. A leitura pode ser simples para o Parisian Restaurant e Assembly Square, já que foram os que obtiveram mais pontos, mas no caso do Cafe Corner pode haver várias razões. Ou melhor, com certeza que este resultado é o produto de várias razões. A primeira é a justificação da minha classificação. Pessoas que assistiram em primeira mão ao aparecimento da série e sentiram o impacto da mesma no hobby. A segunda é o facto de ser um set relativamente difícil de conseguir o que o torna caro.. E existe sempre gente que confunde o caro com o bom. Por fim, aqueles que começaram a comprar a série e abandonaram a série algures ainda na primeira era (como aconteceu comigo, apesar de ter voltado mais tarde). Para esses o Cafe Corner pode ser simplesmente o melhor do que possuem.

Poderia continuar com mais algumas análises e gráficos mas acho que o que escrevi acima chega para tirar duas conclusões à volta do mesmo nome. Pode-se dividir a série em épocas consoante o envolvimento do Jamie Berad e os sets desenvolvidos por ele são, para a maioria, os melhores.

Provavelmente voltarei a este tipo de sondagens em conjunto com a Play Well Portugal.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:30

Resultados da sondagem dos melhores modulares LEGO (parte 1 de 2)

por baixinho, em 23.03.20

Aqui estão os resultados da sondagem que eu e a Play Well Portugal promovemos durante as últimas duas semanas sobre os edifícios modulares da LEGO. Devo referir que a Play Well Portugal também apresenta os resultados neste artigo e que tanto eu como eles realizamos os nossos tops que podem ser lidos nesta sequência de posts (eu: 1, 2, 3, 4 e 5; Play Well Portugal: 1, 2 e 3).

A sondagem decorreu através de um formulário Google onde os participantes poderiam escolher 10 dos 15 modulares existentes, ordenando-os do 1º ao 10º. Votaram 26 pessoas, mas nem toda optaram por ordenar 10 modulares já que houveram 5 que o fizeram parcialmente (duas colocaram 9, uma colocou 8 e outras duas colocaram apenas 4 modulares) e até tivemos um participante que submeteu o formulário sem colocar qualquer modular. Posso imaginar que estas situações podem ter advindo de algum engano ou mesmo por opção votando apenas naqueles que possuíam. Ao primeiro lugar de cada participante atribuímos 10 pontos, ao segundo 9 pontos e assim sucessivamente. Segue-se a classificação:

 

15º Lugar com 42 pontos

Market Street de 2007

Dos 26 votantes, 8 votaram neste conjunto e não foi o favorito de ninguém.

Não é propriamente uma surpresa que o último lugar seja ocupado pelo Market Street. A minha classificação foi o 4º lugar muito devido ao contexto de desenho e lançamento deste conjunto o que explica, por exemplo, porque é muito pequeno (praticamente tem metade das peças que a média).

 

14º lugar com 43 pontos

Corner Garage de 2019

Dos 26 votantes, 11 votaram neste conjunto e não foi o favorito de ninguém.

Outra classificação que também não é propriamente uma surpresa, apesar de ter esperado que estivesse uns lugarzitos acima. A verdade é que o edifício apesar de conter várias técnicas e peças interessantes não agradou a maior parte do pessoal quanto à estética. Sofre também por ser um dos mais recentes.

 

12º lugar com 52 pontos

Downtown Dinner de 2018

Dos 26 votantes, 10 votaram neste conjunto e foi o favorito de 1 pessoa.

Outro em que a classificação também não surpreende já que o estilo bastante vincado (ao contrário do Corner Garage) lhe trouxe várias animosidades apesar de ser muito interessante em termos de técnicas de construção. As classificações tanto deste como do Corner Garage provam que a maior parte dos apreciadores deste género estão mais inclinados para um resultado final onde o edifício seja particularmente bonito. No entanto mesmo assim houve uma pessoa que o considerou como o modular favorito. Pessoalmente coloquei-o em 9º lugar.

 

12º lugar com 52 pontos

Palace Cinema de 2013

Dos 26 votantes, 11 votaram neste conjunto e foi o favorito de 1 pessoa.

Outro com uma pontuação esperada. Apesar de uma fachada algo monumental, o edifício é relativamente pobre e com um dos interiores mais fracos. Nem o envolvimento do Sir Nadroj (na altura em plena aventura, falhada, como LEGO Designer) no desenho do set o fez ser mais apreciado pelos AFOLs.

Mesmo assim foi o preferido de uma pessoa. Pessoalmente é um dos modulares mais fracos de sempre ficando apenas acima do Town Hall.

 

11º lugar com 57 pontos

Town Hall de 2012

Dos 26 votantes, 11 votaram neste conjunto e foi o favorito de 1 pessoa.

Pessoalmente considero este o pior dos modulares onde nem a imponência o safa. Por isso esperava uma classificação mais baixa. No entanto conseguiu estar num sólido 11º lugar e até ter alguém que o considera como favorito.

 

10º lugar com 62 pontos

Bookshop de 2020

Dos 26 votantes, 14 votaram neste conjunto e foi o favorito de 1 pessoa.

Aqui está uma surpresa. Esperava uma classificação mais baixa para o mais recente membro deste tema. No entanto a fachada, que é inegavelmente bonita, já cativou os seus fãs chegando a ter uma pessoa que o considera como favorito apesar de ter apenas uns meses de existência. Já o construí e tenho o review a sair brevemente.

 

9º lugar com 83 pontos

Pet Shop de 2011

Dos 26 votantes, 16 votaram neste conjunto e foi o favorito de 1 pessoa.

Quase vinte pontos destacam o Pet Shop do set anterior, o Bookshop, o que torna a sua classificação segura para este conjunto que, pessoalmente, acho que envelheceu mal. No entanto representa o final da primeira era dos modulares e a entrada naquele que, eu acho, a pior era dos modulares.

 

8º lugar com 89 pontos

Grand Emporium de 2010

Dos 26 votantes, 21 votaram neste conjunto e não foi o favorito de ninguém.

O Grand Emporium conseguiu o 10º lugar na minha lista ma na sondagem foi um pouco mais acima. Curiosamente não teve ninguém a considerá-lo como favorito mas quase toda a gente lhe deu um voto. 

 

7º lugar com 90 pontos

Fire Brigade de 2009

Dos 26 votantes, 18 votaram neste conjunto e foi o favorito de 1 pessoa.

Este conjunto esteve na lista de menos participantes que o Grand Emporium mas teve mais pontos e chegou até a ser o favorito de uma pessoa. A verdade é que apesar de ambos seguirem mais ou menos a minha linha em termos de técnicas, os interiores do Fire Brigade são mais interessantes. Na minha classificação obteve um honroso 8º lugar.


6º lugar com 95 pontos

Green Grocer de 2008

Dos 26 votantes, 18 votaram neste conjunto e foi o favorito de 1 pessoa.

Apesar do Green Grocer ter também obtido o 6º lugar na minha lista, fiquei algo surpreendido  em ter-se classificado no mesmo lugar na sondagem. É que, a par do Market Street e Cafe Corner, faz parte da primeira fase dos modulares onde existiam ainda vários constrangimentos no design o que provocava limitações notórias no resultado final. Mesmo assim foi o favorito de alguém, sem dúvida alguma pessoa que acompanha os modulares desde o início.

 

5º lugar com 105 pontos

Cafe Corner de 2007

Dos 26 votantes, 15 votaram neste conjunto e foi o favorito de 6 pessoas.

Apesar de eu o ter colocado em primeiro lugar na minha lista não estava à espera que o Cafe Corner chegasse tão alto nas preferências dos participantes. Apesar de ser o primeiro conjunto da série, o desenho é algo datado e os estúpidos preços a que se encontra no mercado faz com que muita gente ainda não o possua. Provavelmente essas são as razões de uns resultados interessantes já que foi o favorito de 6 pessoas mas votaram nele menos participantes que os 4 modulares abaixo desta classificação.

 

4º lugar com 111 pontos

Detective’s Office de 2015

Dos 26 votantes, 18 votaram neste conjunto e foi o favorito de 1 pessoa.

Nenhuma surpresa para a classificação do Detective’s Office já que esperava que ele o Brick Bank ocupassem o 3º e 4º lugar já que fazem parte da que eu considero época de ouro dos modulares. Eu classifiquei-o em 5º lugar mas foi o favorito de uma pessoa e esteve na lista de 18 participantes, curiosamente menos 3 do que o Grand Emporium que se classificou em oitavo lugar.

 

3º lugar com 114 pontos

Brick Bank de 2016

Dos 26 votantes, 19 votaram neste conjunto e não foi o favorito de ninguém.

Como disse acima, não é uma surpresa o terceiro lugar no pódio obtido pelo Brick Bank. De 2014 a 2017 foram lançados os quatro modulares que considero mais bonitos e interessantes a nível de técnicas de construção e penso que esse sentimento é partilhado por muitos AFOLs. Curiosamente apesar de estar na lista de 19 participantes, o Brick Bank não foi o favorito de ninguém. Na minha lista obteve o 7º lugar.

 

2º lugar com 165 pontos

Assembly Square de 2017

Dos 26 votantes, 21 votaram neste conjunto e foi o favorito de 6 pessoas.

Este singular conjunto com a sua baseplate e meia serviu para comemorar o 10º aniversário da série. Pessoalmente considero que a experiência de montar este conjunto como um dos momentos mais gratificantes como AFOL pela quantidade de técnicas que utiliza. Por isso também o coloquei em segundo lugar. Foi o favorito de 6 pessoas, a par do Cafe Corneer foi o set que obteve mais favoritos. De notar a diferença brutal de pontos em relação ao terceiro lugar, o Brick Bank.

 

1º lugar com 167 pontos

Parisian Restaurant de 2014

Dos 26 votantes, 23 votaram neste conjunto e foi o favorito de 5 pessoas.

Sempre achei que o primeiro lugar estaria entre o Assembly Square e o Parisian Restaurant por isso não me causou qualquer surpresa este resultado e, mais ainda, a pequena diferença de votos entre os dois. Penso que este conjunto é tudo aquilo que se espera de um modular e a prova disso foram os 23 votantes (o set que entrou na lista de mais gente) e também o primeiro lugar na lista da Play Well Portugal. Estranhamente obteve menos favoritos do que o Cafe Corner e o Assembly Square. No meu caso classifiquei-o em terceiro lugar, atrás do Cafe Corner e do Assembly Square.

 

Mais tarde, provavelmente amanhã, farei uma pequena análise dos resultados gerais. Entretanto podem ver a folha de cálculo com os resultados aqui.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 14:00

Sondagem: Os melhores Modulares LEGO

por baixinho, em 19.03.20

A sondagem que estou a realizar em parceria com a Play Well Portugal termina amanhã. Os resultados serão anunciados nos dias seguintes.

Abaixo estão os links para os artigos que revelam o meu top 10 dos modulares LEGO, no entanto não deixem de ler o top realizado pela Play Well aqui e aqui (no momento que escrevo estas linhas só tinham dois artigos, actualizo mais tarde).

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 1 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 2 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 3 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 4 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 5 de 5)

Inquérito: Quais os melhores modulares da LEGO.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 12:00

Um cantinho francês

por baixinho, em 16.03.20

Untitled

Via EuroBricks encontrei este encantador canto urbano criado pelo Jean Macou. Além da curiosidade de me parecer que com pequenas adaptações pode possibilitar fazer um canto com outros edifícios modulares (por norma só tinhamos esquinas e lineares) fico sempre deliciado quando se construem MOCs visualmente interessantes sem se recorrer a grandes técnicas de construção.

Untitled

Este MOC também serve de mote para transmitir dois pontos! 

Como podem ver, não são necessários grandes conhecimentos para construir obras interessantes. Experimentem e construam! Os primeiros podem não sair tão bem, mas com certeza que o tempo e a experiência são óptimos para a evolução enquanto construtor!

Segundo, não deixem de votar na iniciativa que tenho em conjunto com a Play Well Portugal. Vamos lá saber quais são os melhores modulares da LEGO!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Baixa

por baixinho, em 13.03.20

DownTown CityCenter

Continuando a saga dos modulares, aqui fica um bonito MOC do Peeters Kevin onde as detalhadas e credíveis fachadas são acompanhadas por recheados interiores.

DownTown CityCenter

Como já vem sendo hábito em alguns autores, podem adquirir as instruções aqui.

Hábito que, de certa forma, está a alterar comportamentos no hobby LEGO e que provavelmente tentarei dissecar mais tarde.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 5 de 5)

por baixinho, em 13.03.20

Sem mais delongas, aqui estão os dois primeiros lugares!

2º Assembly Square

O Assembly Square é, até à data, o maior de todos os modulares. Construído numa base e meia, o que deve irritar solenemente aquele pessoal mais quadradão, serviu para comemorar o décimo aniversário da série bem como para homenagear os vários modulares anteriores. Pessoalmente considero-o um compêndio de técnicas avançadas e originais de tantos os momentos wows que provoca enquanto o construímos.

Este é um dos melhores sets para oferecer a alguém que pensamos que pode vir a ser AFOL. Tem tudo aquilo que um set LEGO necessita para ser considerado interessante e para não ser visto como apenas um brinquedo.

O meu primeiro ponto memorável é mesmo a área que ocupa, uma baseplate e meia. Algo único até agora na série de modulares. O segundo ponto memorável são as miniaturas imediatamente reconhecíveis dos três primeiros modulares, Cafe Corner, Market Street e Green Grocer.

 

1º Cafe Corner

Para quem me conhece não é propriamente uma surpresa classificar o Cafe Corner como o melhor modular de sempre. 

Sim, em termos de design está algo datado, nem interiores têm e as traseiras são simplesmente inexistentes. No entanto há que referir que como set experimental que foi, os constrangimentos em termos de variedade de peças foram enormes. Tantos que apresenta alguns erros como janelas sem vidros ou peças em cores não esperadas.

Mas para perceber a importância deste set há que o enquadrar a nível histórico. O fenómeno AFOL começa a tornar-se algo relevante com o lançamento dos primeiros sets Star Wars na viragem do século. No entanto esse fenómeno não é logo acompanhado pela empresa LEGO e até é algo muito discutível internamente onde vários departamentos até demonstram desconfiança em relação a essa evolução. O trabalho pioneiro de alguns funcionários da LEGO, por exemplo os norte-americanos Brad Justus e Jake McKee, começam a abrir caminho e o ingresso de alguns AFOLs, como o próprio Jamie Berard ou o Mark Stafford, como LEGO Designers geram uma dinâmica nova na concepção de sets. É que na altura além dos conjuntos serem criados nomeadamente para crianças, eram desenhados maioritariamente por pessoas que apenas estavam ligadas ao mundo LEGO pelo trabalho.

Isto resultava que o panorama em termos de sets LEGO para um AFOL era algo pobre. Star Wars estava relativamente bem representado, alguns comboios (alguns deles desenhados com AFOLs como o James Mathis) e um ou outro set D2C iam animando as hostes. Mas todos eles eram, de alguma forma, ainda uma extensão do que a LEGO fazia para as crianças. Principalmente na técnicas de construção utilizadas que eram algo conservadoras.

Além disso a LEGO tinha estado numa forte crise financeira (e de valores) uns parcos anos antes, o que tinha levado a um completo desnorte quanto a temas e sets. Não, não foi só o Galidor que manchou a LEGO, a maior parte dos conjuntos que apareciam nesses anos só serviam para peças e às vezes nem isso.

Portanto é num panorama fraco, sim já em crescimento mas ainda fraco, que surge o Cafe Corner.

Lembro-me perfeitamente em Janeiro de 2007 ter recebido a primeira imagem do set bem como de um sketch. Na altura nem eu nem a Tânia éramos LEGO Ambassador mas tivemos alguém conhecido que era que nos facultou as imagens (yah, leaks). Quando as recebemos estávamos com outro AFOL em casa, o Zé “Ups” Pedro, e ficamos os três durante largos minutos a apreciar e a discutir sobre este set que parecia um MOC.

Porque era isso mesmo, um set que mais parecia um MOC de um AFOL dotado do que um conjunto habitual da LEGO.

Uns dias antes o anúncio num evento alemão de um novo sistema de modulares tinha passado relativamente despercebido (https://news.lugnet.com/ambassadors/?n=70) e, para grande pena minha, não consigo agora encontrar as fotos que acompanhavam esse anúncio.

Depois do lançamento e do sucesso do Cafe Corner junto dos AFOLs e não só, a LEGO, como um todo, começou a perceber melhor o potencial do fenómeno AFOL não só como uma forma de aumentar as vendas com sets não licenciados mas também, e principalmente, uma forma de aumentar a qualidade e originalidade dos seus sets. Não era só a questão de os sets serem mais direccionados para os adultos, era também a questão que a própria experiência de construir um set deveria ser cativante para os adultos.

Claro que o Cafe Corner não foi o único set a impulsionar este movimento na LEGO (alguns comboios, o 10027 Train Engine Shed de 2003 ou o 3739 Blacksmith Shop de 2002 são bons exemplos disso) mas é sem dúvida alguma o marco mais notável e importante. Para quem aprecia um set LEGO como uma experiência de construção haverá sempre um antes e um depois do lançamento do Cafe Corner.

Isso faz deste set não só o mais importante dos modulares como um dos conjuntos LEGO mais importantes de sempre.


Termina aqui a minha lista dos melhores modulares de sempre. Facilmente deixei de fora alguns modulares por achá-los notoriamente fracos em relação à média do tema (caso do 10232 Palace Cinema e do 10224 Town Hall) ou por serem demasiado recentes para se perceber o impacto (10264 Corner Garage e 10270 Bookshop).

Como disse no primeiro post desta série, a lista é acima de tudo pessoal e reflecte não só os meus gostos mas também a minha experiência de mais de 20 anos de AFOL.

Podem ver a lista de todos os Modulares no Brickset aqui.

 

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 1 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 2 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 3 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 4 de 5)

Inquérito: Quais os melhores modulares da LEGO.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 4 de 5)

por baixinho, em 12.03.20

Hoje apresento o quarto e terceiro classificado desta lista de sets. Será que as escolhas surpreendem ou são as esperadas?

4º Market Street

Esta classificação elevada para o, de qualquer forma incontornável, Market Street é notoriamente sentimental. Erik Brok, AFOL holandês com qual partilhei conversas digitais quando fui LEGO Ambassador no segundo e terceiro ciclo entre o segundo semestre de 2005 e Setembro de 2006, foi o designer do conjunto em parceria com o Jamie Berard. AFOL de muito relevo nos primórdios da história deste hobby, foi-lhe diagnosticado um cancro terminal algures em 2006. A notícia, dada pelo próprio na mailing list dos LEGO Ambassadors da altura, é dos posts mais fortes que alguma vez li. Não conheço os pormenores, mas durante o seu último ano de vida teve a oportunidade de desenhar um set em Billund num tema da altura, o Factory que de algum modo viria a ser algo próximo de um proto-Ideas.

Depois do lançamento do Cafe Corner (Março de 2007) começa-se a ouvir falar de outro set similar, o Market Street. Na altura, já a Tânia como LEGO Ambassador, foi-nos enviada um exemplar deste set para uma exposição que a Comunidade 0937 organizou no Norteshopping no início de Junho. Tive então a oportunidade de construí-lo e analisá-lo (podem ler a review aqui) antes de ele ser editado. O set é lançado na Shop@Home uns dias depois do evento e no dia seguinte é conhecido o falecimento do Erik.

Se tiverem curiosidade, podem visitar o site do Erik aqui: http://www.bricksonmymind.com/

Mas fora toda história que percorre o lançamento do Market Street, a verdade é que o set é excelente tendo em conta as várias limitações da altura e, principalmente, dos conjuntos do tema Factory tornando-o no mais pequeno modular.

A história, mas também o estilo vincadamente holandês e o facto de os andares serem intercambiáveis e poderem ser rodados são, para mim, os pontos memoráveis deste set.

 

Já agora sobre a inclusão ou não do Market Street na série dos edifícios modulares. Além da LEGO já ter referido afirmativamente por várias vezes sobre a inclusão, penso que os critérios das irregularidades (dois sets num ano, caixa da série Factory, etc) utilizados por alguns para sustentar a não inclusão deste set na série, são próprios de pessoas demasiado quadradas. :)

 

3º Parisian Restaurant

Depois do entusiasmo geral dos primeiros anos a verdade é que por volta de 2011 as coisas começam a esmorecer. Primeiro temos o 10218 Pet Shop que de alguma forma fica aquém das expectativas, principalmente devido à imponência dos dois modulares anteriores (Grand Emporium e Fire Brigade). Mas o lançamento do 10232 Palace Cinema e do 10224 Town Hall (ambos não são desenhados pelo Jamie Berard, designer encarregue de todos os outros modulares anteriores e, de certa forma, pai do tema) pioram as coisas. Não quer dizer que as vendas não tenham corrido bem, a verdade é que ambos não cumpriam com que os AFOLs esperavam num modular. Além da estética, eram esperadas técnicas inovadoras e até ousadas, peças incomuns e/ou recentes em novas cores e, acima de tudo, um appealing para AFOLs

Por isso em 2014 o regresso ao tema do Jamie com este glamoroso Parisian Restaurant foi uma reviravolta enorme no panorama dos modulares. Voltaram as técnicas ousadas, as utilizações originais de peças, as cores incomuns numa construção que tem todos os pontos que fazem encantar os AFOLs.

São vários os pontos memoráveis que poderia referir, mas fico-me por estes dois: o interior detalhado do restaurante e os ornamentos do telhado.

 

Quem anda mais atento ao fenómeno dos modulares já deve ter adivinhado quem são os dois primeiros lugares desta lista. 

No entanto falta saber qual a ordem que dei e qual a justificação para isso!

 

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 1 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 2 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 3 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 5 de 5)

Inquérito: Quais os melhores modulares da LEGO.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 3 de 5)

por baixinho, em 11.03.20

Hoje subo mais um pouco nesta lista de sets memoráveis!

6º Green Grocer

Dos primeiros modulares o Green Grocer é, provavelmente e a meu ver, aquele que envelheceu pior. Talvez para isso tenha contribuído a, aparente, falta de importância histórica como a do Cafe Corner, ou falta de especificidade como o Market Street ou as várias semelhanças com o, também, Cafe Corner.

Acima falo da aparente falta de importância histórica porque sinto realmente que o Green Grocer é relativamente importante. Primeiro porque introduziu algum relevo aos interiores, ponto que foi praticamente ignorado tanto no Cafe Corner como no Market Street, mas acima de tudo porque foi a confirmação que os modulares vieram para ficar, que seriam sempre uma mostra do state of art em termos de técnicas de construção e que finalmente os AFOLs tinham um tema totalmente lhes dedicado. No entanto essa importância e até mesmo a qualidade como conjunto não são suficientes para o destacar dos dois conjuntos antecessores.

Pessoalmente para este set os pontos memoráveis foi a utilização massiva de peças em sand green, a introdução de alguns interiores e a passagem para as traseiras com acesso às escadas.

 

5º Detective’s Office

Se há modular que tenho pena em não ter tido a experiência de o construir, é este. A estrutura dos dois edifícios é relativamente simples na construção, mas o efeito conseguido tanto na utilização de diferentes peças como de diferentes cores é excelente criando na perfeição um ambiente próprio das aventuras de detectives da época. A cimentar este ambiente estão fabulosos interiores cheios de deliciosos pormenores e que possibilitam as mais delirantes investigações por parte do detective.

No fundo temos um modular bonito, credível na forma como os edifícios jogam um com o outro e representando de forma até colorida um ambiente mais negro.

Desta vez como pontos memoráveis vou para a mesa de bilhar e para a série de fotografias das investigações do detective.

 

Faltam apenas quatro sets para esta lista. Amanhã revelo mais dois.

Será que vão haver surpresas?

 

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 1 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 2 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 4 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 5 de 5)

Inquérito: Quais os melhores modulares da LEGO.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 2 de 5)

por baixinho, em 10.03.20

Hoje avanço mais um pouco no meu top 10 dos Modular Buildings!

8º - Fire Brigade

A apresentação deste conjunto ocorreu em Portugal durante o evento realizado em Tomar pela Comunidade 0937. Mas a situação foi algo caricata já que houve um atraso na transportadora e apenas recebemos as instruções impressas a tempo do evento, as peças (literalmente um saco de peças) chegaram apenas no dia a seguir ao fim do evento. Nada que não impedisse o escrutínio detalhado das instruções pelo pessoal que participou no evento bem como um espantoso leilão que ainda hoje perdura na memória de quem esteve presente.

O Fire Brigade além de ser um modular extremamente interessante, introduziu os veículos à série fazendo com que se confirmasse a suspeita que estávamos perante um tema histórico e não propriamente actual. O tema não representa edifícios antigos num contexto actual mas sim na sua própria época, algures nas décadas de 50 e 60 do século passado.

Além destas curiosidades o set é, a nível de design e técnicas de construção, muito interessante. De um estilo notoriamente norte-americano (apesar de já ter visto edifícios relativamente semelhantes em terras de sua majestade) tem também uns interiores (um pouco) mais detalhados do que os anteriores modulares.

Como pontos memoráveis para este set indico a data na fachada e o aparecimento do primeiro veículo da série.

 

7º Brick Bank

O aparecimento de um modular representando um banco não foi propriamente uma surpresa. Pode dizer-se que a partir de certa altura era inevitável o aparecimento de um estabelecimento bancário para acompanhar o restantes edifícios do tema.

No entanto o Brick Bank conseguiu mesmo assim surpreender. As técnicas utilizadas na fachada, que teria um estilo já previsível, são eficazes e criam um efeito monumental próprio destes edifícios. A utilização mais que esperada dos lingotes cinzas na fachada é suportada por uma peça nova na altura (a 22885) que rapidamente conquistou o espaço junto dos AFOLs.

Mas onde o Brick Bank brilha é nos interiores e na forma como cria histórias à volta do dinheiro. Os olhos dos AFOLs prendem-se na a lavandaria, no escritório do director, no cofre e na própria área de entrada com um bonito chão e um grande balcão.

Como pontos memoráveis indico os ornamentos acima da porta de entrada e, como não havia deixar de ser, a piada da lavagem de dinheiro.

Amanhã continuo com esta lista!

 

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 1 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 3 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 4 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 5 de 5)

Inquérito: Quais os melhores modulares da LEGO.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00

E para ti, quais são os melhores modulares da LEGO?

por baixinho, em 09.03.20

De forma paralela ao desenrolar do meu top 10 dos modulares da LEGO (ler aqui) vou iniciar um inquérito com a mesma temática aberto a todos.

Assim criei este formulário no Google Forms onde podem indicar os vossos modulares preferidos. Para impedir os votos duplicados é necessário que estejam logados na vossa conta Google, no entanto não recolho endereços de email ou qualquer outra informação (é um processo automático da Google). Para mim cada voto é anónimo.

No caso de estarem a utilizar um ecrã mais pequeno poderão ter que fazer alguma ginástica para poderem aceder a todas as opções. Basicamente devem indicar a posição de cada modular deixando 5 deles em branco. No fim para cada um dos inquéritos atribuo 10 pontos ao primeiro, 9 ao segundo e por aí a fora, somo tudo e assim tenho uma classificação geral.

O inquérito estará aberto até às 24 horas de sexta-feira, 20 de Março de 2020 e conto divulgar os resultados na semana seguinte.

Obrigado por participarem!

 

Edit: A Play Well Portugal junta-se a esta iniciativa! Assim os resultados poderão ser considerados mais abrangentes! A data de término também foi alterada para 20 de Março.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 1 de 5)

por baixinho, em 09.03.20

A série de edifícios modulares da LEGO apesar de ainda em actividade é, inegavelmente, um marco na história da empresa. Creio que, a par da linha Star Wars e dos Colectible Minifigures Series, seja um dos grandes catalisadores do fenómeno AFOL onde converte imensos fãs adormecidos a este glorioso hobby.

Poderia agora divagar pela história desta linha bem como o impacto que foi o anúncio do primeiro deles, o 10182 Cafe Corner. Deixo isso para outra altura para me centrar agora na discussão interminável na classificação dos vários sets. Quais são os melhores e porquê?

Antes de começar a divulgar a minha lista devo frisar que, como em qualquer lista que faço, estão expressas as minhas opiniões e experiêcnias pessoais e que para este efeito não só avaliei a qualidade das técnicas, as peças disponibilizadas, o efeito final a nível estético ou até mesmo a forma como o set encaixa nos restantes edifícios do tema, mas também o seu impacto na Comunidade AFOL bem como a minha relação sentimental com cada um dos edifícios. Lembro também que dos quinze modulares que existem até esta data, construí dez mas conheço bastante bem os restantes.

Por outro lado desta vez o formato deste top 10 será diferente do habitual. Vou dividir o artigo em 5 partes onde vou revelando as minhas escolhas por ordem decrescente.

Por isso, aqui estão o 10º e 9º lugar!

 

10º - Grand Emporium

Aqui está um set que não me conseguiu agarrar no início e, pouco a pouco, foi ganhando o meu interesse. A verdade é que o tamanho e a alguma austeridade da fachada faziam-no (e fazem-no) um pouco menos “fofo” do que é a norma nos modulares. No entanto deveremos ver isso também como mostra da imponência do (grande) estabelecimento de vendas que o set representa sem esquecer que também o torna bastante credível. De construção relativamente simples tem dos interiores mais desequilibrados dos vários conjuntos integrantes do tema. Pormenorizados por um lado, vazios por outro.

Como pontos memoráveis escolho as lindas janelas em dark-green (que ainda agora são relativamente incomuns) e as escadas rolantes, que ora sobem, ora descem :)

 

9º - Downtown Dinner

A par de outros modulares, o Downtown não reuniu o consenso quando foi anunciado e, penso eu, passado alguns anos não consegue ainda agradar a todos. Pessoalmente creio que a principal razão desta discórdia deve-se ao estilo vincado das suas linhas. Mas a verdade é que é esse próprio estilo que lhe dá uma personalidade própria e inconfundível que aliada às deliciosas técnicas do designer, Mike Psiaki, tornam a construção interessante e cheia de espantosos detalhes. Sim, existem alguns pontos menores, no entanto isso não invalida a qualidade geral deste set.

Como pontos memoráveis escolho o estilo inconfundível e as escadas de ferro em caracol.  

 

Amanhã avanço com o oitavo e sétimo lugar desta lista!

 

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 1 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 2 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 3 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 4 de 5)

Os 10 Melhores Modulares LEGO (parte 5 de 5)

Inquérito: Quais os melhores modulares da LEGO.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00

Outra livraria

por baixinho, em 22.02.20

Once upon a book. First

Esta construção do Maxim Baybakov é, sem dúvida alguma, o exemplo perfeito que as peças LEGO podem ser uma ferramenta excelente para a construção de modelos perfeitamente sóbrios. O realismo é conjugado de forma perfeita com estilos simples mas eficazes.

No entanto a simplicidade é apenas aparente já que o telhado e fachada de livraria mostram que neste MOC também moram técnicas avançadas de construção.

Roof technique.

Via EuroBricks.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:29

Peixes e Sapos

por baixinho, em 20.01.20

Music Store

As construções da Agata Baśkiewicz (porque é que raios o acento não fica em cima do s?) são sempre um emaranhado de detalhes que tornam os edifícios não só bonitos como interessantes em perscutar por peças em situações incomuns.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:28

Terça-feira do Ideas: Lego Modular Expansion Pack

por baixinho, em 26.11.19

A série de modulares que a LEGO está a lançar desde o longínquo ano de 2007 é provavelmente o mais marcante de todos os temas para o mundo AFOL. Além de juntos criarem um layout de beleza única como podem verificar aqui, isoladamente também são bonitos e a cada uma das construções pode ser considerada o state of art em termos de técnicas "legais" para o seu ano de lançamento. Como considero muito improvável que a LEGO lance um dos milhentos projectos de edifícios modulares que são submetidos pelos fãs na plataforma do Ideas, vejo com bons olhos esta proposta com a realizada pelo Fargo73.

Esta expansão de um parque é composta por vários módulos que podem mudar de disposição conforme a necessidade. O efeito é muito bonito e aposto que com um ou outro acerto ficariam a matar junto de um qualquer modular.

Não me parece que a LEGO tivesse que fazer muito para tornar esta construção viável tanto quanto em relação ao parque como ao vários componentes do mobiliário urbano. Claro que ficaria sempre a possibilidade de adicionar ainda mais uns módulos... de preferência a um ritmo anual.

Neste momento tem 1008 apoiantes e ainda tem 586 dias para chegar aos 10 000. Aqui ficam as minhas previsões:

Chegará aos 10 000 apoiantes?

Sim.

Eu sei que é um projecto que agrada apenas a alguém que já seja um AFOL e não me parece que vá atrair nova gente ao mundo LEGO. Mas o projecto é tão simples, bonito e encaixa bem no sistema de modulares que acredito que junte 10 000 apoiantes.

Se chegar aos 10 000 apoiantes, a LEGO irá torná-lo num set oficial?

Ora aqui é que está a pergunta crucial.

Sinceramente não consigo prever já que entra bem no limite entre o que a LEGO costuma lançar e do que não costuma lançar. Acredito que qualquer decisão também não seria unânime dentro da LEGO.

A ser um set oficial, entraria na minha wishlist?

Provavelmente sim, mas teria sempre que ver com as peças presentes e com a modularidade das soluções.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Posto dos Correios

por baixinho, em 07.11.19

Post Office

 Agata "Pakita" Baśkiewicz pode não ser tão prolífica como o Łukasz Libuszewski, mas o estilo e qualidade estão todos lá. Como sempre podem comprar as instruções para ter uma beleza destas lá em casa.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:11

Review do 10260 Downtown Diner

por baixinho, em 04.11.19

Tema: Creator Expert / Modular Buildings

Ano de Edição: 2018

Número de Peças/Minifigs: 2480/6 

Preço LEGO®: 169.99€ (149.99€ na Alemanha)

Link Brickset: https://brickset.com/sets/10260-1/Downtown-Diner

 

Quando o Café Corner surgiu em 2007 o mundo AFOL deu um salto e uns meses depois deu um outro com o aparecimento, primeiro, do Market Street e, depois, do Green Grocer, o que confirmou que seria uma série de sets para continuar.

As série foi afinando e agora os AFOLs já sabem que um novo modular ficará disponível a cada 1 de Janeiro. Enquanto ainda não se conhece o próximo set da série, vou recuar praticamente dois anos e analisar o Downtown Diner, conjunto que teve alguma contestação devido ao seu estilo bem vincado.

10260 Downtown Diner (3)

Em termos de peças temos um jeitoso PPP de quase sete cêntimos, bastante atraente para os dias de hoje. Fora peças impressas, existem neste momento apenas três peças exclusivas para este conjunto, as 6213790, 6221720 e 6213793. Mas não dou grande destaque a estas peças já que penso que a utilidade torna-se duvidosa devido à cor. Sim, eu sou daqueles que não ficou grandemente entusiasmado com o regresso do teal (bright bluish green para a LEGO). Sim, é mais uma cor na palete da LEGO mas preferia outras cores não tão berrantes ou até mesmo o regresso do sand-red. Existem várias outras peças relativamente raras ou incomuns, mas a maior parte são ou em teal ou em ros. :/

10260 Downtown Diner (4)

No entanto mesmo se não dermos importância a estas cores, restam-nos imensas peças bastante úteis e de fácil utilização. Bricks, plates, tiles, janelas, jumpers, paíneis transparentes, etc.  Tudo útil para construirmos edifícios e não só!

10260 Downtown Diner (6)

A construção é dividida em cinco fases ao longo das duzentas páginas de apenas um livro de instruções. A primeira e segunda fase dedicam-se ao rés-do-chão. Depois de uma parte inicial um pouco chata já que se limita a assentar tiles, as coisas começam a animar-se com a decoração interior do restaurante. Algumas técnicas mais ousadas animam essa fase já que temos SNOT qb e várias utilizações originais de peças. Gostei particularmente de duas longas secções em SNOT que encima a fachada do rés-do-chão. A terceira fase dedica-se inteiramente ao primeiro andar onde temos um pequeno ginásio que pessoalmente achei parco em interiores. Nada que comprometa o valor do conjunto mas vejo como uma oportunidade desperdiçada. As escadas exteriores, as janelas pequenas construídas ao contrário, a frente em SNOT são, para mim, os pontos mais interessantes desta fase. O segundo e último andar ocupa a quarta fase da construção do set. É um estúdio musical um pouco mais decorado que o andar inferior, mas se calhar não tão interessante em termos de técnicas. Continuam as janelas ao contrário e a fachada em SNOT, mas nada que chegue perto daquelas escadas exteriores da fase anterior. A última fase é dedicada ao terraço do edifício (começo a sentir saudades de telhados nesta série) e ao automóvel. Apesar de umas cornijas interessantes, o terraço não deixa grandes lembranças. O automóvel pode ter vindo directamente de Cuba, mas apesar de algumas soluções interessantes, não me conseguiu entusiasmar.

10260 Downtown Diner (11)

No geral o edifício tem linhas que lhe dão um ar único entre os modulares o que o tornam irrepreensível em termos de exterior. Quanto aos interiores é desequilibrado já que o rés-do-chão é perfeito, o primeiro andar é fraco e o segundo é assim-assim.

As Peças 9/10 (bom PPP e boa variedade, algumas cores difíceis de utilizar noutros contextos)

A Construção 10/10 (deliciosa, sem grandes partes chatas e com algum pontos brilhantes)

O Desenho 9/10 (exterior original e irrepreensível, interiores desequilibrados)

Jogabilidade 9/10 (o habitual nesta série, fica bem em qualquer prateleira de um AFOL)

10260 Downtown Diner (7)

10260 Downtown Diner (8)

10260 Downtown Diner (9)

O grande motivo de contestação a este conjunto, o estilo representado, é para mim o seu ponto forte. Torna-o original, destacando-se dos restantes edifícios da série. Quanto a técnicas cumpre a premissa da série de ser um festival de ousadias :)

Conclusão 9/10

(Este conjunto foi fornecido para análise pela The LEGO Group, mas a review é da minha inteira responsabilidade)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

A Loja dos Donuts

por baixinho, em 18.07.19

Doughnut Shop

Este modular do ExeSandbox está recheado de detalhes que só por si já fazem dele um excelente MOC. No entanto vale a pena ver as restantes imagens para perceberem até onde vai o nível de detalhe dos interiores. Realço também o formato interessante e o esquema de cores dos dois edifícios.

Sim, algumas renderizações estão bestiais.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:57


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog