Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]


16 anos do blog Oficina dos Baixinhos

por baixinho, em 06.04.21

LegOficina20160305 (2)

Há dezasseis anos eu e a Tânia lançamos este projecto com este post. O blog na altura era graficamente bem diferente, a imagem que acompanhava o post não sobreviveu (nem me lembro qual era) e desde 2010 que praticamente estou sozinho nestas andanças. Mas muito daquilo que nos fez avançar com o blog, continua a ser a essência deste projecto.

Partilhar o que se vai passando na LegOficina e assim mostrar o que é ter as peças LEGO como hobby

Claro que neste momento não tenho propriamente uma LegOficina em casa, mas é praticamente certo que no próximo aniversário já tenha essa situação resolvida :).

Desta vez não vou fazer grandes futurologias, apenas espero estar aqui para o ano a fazer um post similar!

 

ps. Para efeitos de registo neste intervalo de tempo foram colocados 4618 posts e feitos 968 comentários (apenas aqui no blog, não contabilizo nas redes sociais).

pps. A imagem é de 2016 e é uma das últimas que tenho da LegOficina original. Sim, aquilo é uma vaca do mar desmontada :)

ppps. Ahh, não se esqueçam de subscreverem o meu canal do YouTube! :D

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Recordando o LUP

por baixinho, em 02.02.21

LEGO Universe LUP Meet 2008

Para quem não sabe, LUP é a sigla de LEGO User Partner (ou em alguns casos Partnership). A LEGO utilizou esta sigla algumas vezes há mais de 10 anos atrás para designar algumas iniciativas com AFOLs, mas que o conhecimento destas eram tão restrita que a sigla apenas ficou na memória de quem participou.

Eu fui um deles :)

O jogo LEGO Universe teve um programa em que AFOLs de todo o mundo (vá, América do Norte, Europa e Austrália) foram convidados para participarem na criação do jogo. Não, não iríamos programar nem ser beta testers (apesar de também o termos feito), mas mais sermos algo como consultores. Contribuímos principalmente com construções (cheguei a ver algumas minhas no jogo), com o nosso feedback como AFOLs e com muitas ideias.

LEGO Universe LUP Meet 2008

Não vou comentar aqui o resultado ou o próprio jogo em si, já que nunca liguei muito a este tipo de jogos de computador (MMORPG ou algo do género), além de que não interessa para o propósito deste post. Vou mais relatar um pouco do que foi esta experiência para mim, um AFOL.

Algures no início de 2007 e através de contactos que tinha dos tempos em que fui LEGO Ambassador (sim, na altura era LEGO Ambassador e não LAN Ambassador como é agora) fui convidado a participar num programa secreto e que envolvida assinar um acordo de confidencialidade enorme. Nada a que não tivesse habituado já que na altura da minha participação como LEGO Ambassador (entre 2005 e 2006) assinei vários. Além de mim, outro português também foi convidado para o programa, o Pedro Agnelo. Depois de alguns meses de contribuições online, em Julho de 2007 lá fomos a Denver, onde estavam os escritórios da NetDevil, para aquilo que na altura intitulamos como um fim-de-semana de sonho para qualquer AFOL. Além do nervosismo da grande viagem (detesto andar de avião) e da experiência sempre única de entrar nos EUA, havia a ansiedade daquela que iria ser a minha primeira experiência como AFOL num evento no estrangeiro. Conhecer finalmente vários AFOLs que apenas tinha trocado emails ou conversas em fóruns.

LEGO Universe LUP Meet 2008

E a experiência foi magnífica. A distância do tempo não me permite fazer um relato cronológico detalhado, mas lembro-me perfeitamente das sessões de formação curtas intercaladas com desafios de construção para serem finalizados em menos de uma hora, dos vários corredores onde íamos buscar peças à mãozada para as nossas bancas de trabalho, das imensas conversas sobre LEGO com AFOLs, de partilharmos os resultados fenomenais dos vários desafios, de conhecermos AFOLs e LEGO designers que admirava, de irmos a uma loja LEGO e termos direito a um desconto substancial (somado ao preço em dólares que é sempre mais simpático), de termos que apresentar o nosso trabalho a outros AFOLs, de podermos trazer quilos de peças em conjunto com outras prendinhas LEGO, de ver pela única vez alguém de pé e coberto até ao pescoço dentro de um enorme caixote cheio de peças LEGO, de ver lagartas de LEGO conectadas com uma extensão que ultrapassava facilmente os 100 metros, de construir colaborativamente em equipas de pessoas que mal se conheciam, de respirar LEGO durante três dias.

Sim, foi mesmo essa a sensação que na altura eu e o Agnelo comentamos entre nós. Respirar LEGO durante três dias.

LEGO Universe LUP Meet 2008

Coisa que em 2007 era algo... estupendo :D

Claro que também poderia relatar a visão das Montanhas Rochosas, os cães da pradaria, as casas/estradas/carros enormes, as empregadas de mesa, o desperdício de energia em estar tudo ligado a toda a hora, o metro dentro do aeroporto, os comboios, os quartos de hotel imensos, os refrigerantes altamente açucarados que davam umas bonitas noites de insónia, as sanitas cheias, os enormes escritórios open space, os colchões altos e moles, os sinais escritos, o calor abafado, o território quadriculado e outras peculiaridades que estava habituado a ver em filmes e que é bem diferente presenciar ao vivo.

LEGO Universe LUP Meet 2008

O programa continuou durante mais algum tempo e eu e o Agnelo voltamos a Denver em Junho de 2008 e eu em Maio de 2009 para encontros mais ou menos iguais. Aliás, as fotos que ilustram este artigo são do encontro de 2008.

Além da experiência magnífica, aprendi imenso e abriu portas para novas aventuras no estrangeiro que tratei logo de prosseguir. Em Outubro de 2007 fui com a Tânia durante uma semana inteira à LEGO World na Holanda que na altura era maior exposição mundial. Durante vários anos continuei a ir lá fora apesar de ultimamente isso já não me cativar tanto como cativava na altura. Também experimentei construir sem estar a pensar num resultado final perfeito, mas sim em conseguir num pequeno espaço de tempo transmitir uma ideia apenas com peças LEGO. Algo que ainda hoje faço muito.

Não posso dizer categoricamente que foi a minha melhor experiência como AFOL, já que são tantas as boas que não consigo andar a classificar. No entanto vai ficar sempre para a memória.

Ps. Fotografias de Joe Meno (editor do Brickjournal) que despoletaram este post!

PPs. Entretanto mais fotografias do Alfred Speredelozzi. Do primeiro encontro e do segundo.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Lista de reviews actualizada

por baixinho, em 17.01.21

É, tenho que fazer isto mais amiúde já que corro o risco de a tarefa tornar-se tão grande que desisto de a fazer.

A lista de reviews foi actualizada e podem vê-la aqui.

A última actualização tinha sido realizada no início de Julho e desde aí fiz mais vinte e quatro reviews o que resulta agora num total de 154 (desde 2013, já que não contabilizei as análises que fiz na primeira fase do blog). Apesar das reviews não serem o propósito do blog, nem do canal de YouTube, a verdade é que cada vez mais ocupam uma parte substancial do tempo que tenho disponível para o LEGO. Nada que de momento considere preocupante, já que ao não ter a oficina em casa, faz com que a disponibilidade para criar MOCs não seja exactamente a mesma.

De qualquer forma e depois de um pequeno hiato para descansar desta faceta do hobby, conto voltar às reviews dentro em breve . Tenho já catorze agendadas para a segunda metade de Fevereiro e até lá devo fazer duas ou três para não perder completamente o embalo :D

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:00

2020, um ano em revista

por baixinho, em 31.12.20

Pelas razões que toda a gente conhece, este ano foi diferente de tudo o que se estava à espera. Não vou debruçar-me particularmente sobre a pandemia, mas é lógico que muito do que aqui vou escrever tenha sido afectado por esse fenómeno.

Tudo indicava que ia ser um ano normal, exactamente como eu estava a prever no final deste artigo. Nos dois primeiros meses as coisas estavam a ir normalmente e até posso destacar a minha participação em duas iniciativas onde misturo as peças LEGO com outro dos meus hobbies, os jogos de tabuleiro. Dinamizei dois pequenos concursos/workshops, primeiro no café A Jogar É que a Gente se Entende durante o mês de Janeiro e logo a seguir nos primeiros dias de Fevereiro na convenção de jogos de tabuleiro em Viana do Castelo.

CB na VianaCon 2020 5

Mais ou menos na mesma altura apareceu um artigo sobre mim no Jornal de Notícias. Apesar de ser muito resumido, dá uma visão geral bastante simpática da minha relação com as peças LEGO. 

Então chegamos a Março e as coisas ficaram diferentes. Bem diferentes. A nível profissional tive uma viragem de 180º já que o meu trabalho baseava-se essencialmente em actividades presenciais. O resultado foi direccionar uma boa parte das actividades da Caixa de Brinquedos para o mundo online. Ao nível do hobby foi esquisito. Durante o confinamento tinha imensas peças em casa, mas primeiro há que realçar que estavam completamente desorganizadas. Depois de semanas a organizá-las, o resultado foi relativamente deficiente. Claro que serviu para criar algumas coisas para o trabalho mas não chegou a ser suficiente para criar algo como deve de ser para mim. Em termos online já foi diferente. O blog tornou-se mais regular e tive a oportunidade de abraçar dois projectos que me são bem queridos. O primeiro é o podcast Conversas em Construção em parceria do João Rodrigues da Play Well Portugal (que ultimamente tem sido substituído pela Rita Caré) e do Tiago Catarino que não necessita de grandes apresentações. Neste projecto vamos fazendo alguns episódios em podcast que mais não são gravações de conversas de entusiastas das peças LEGO. Pessoalmente acho que tem resultado em episódios bem interessantes e, segundo o que conheço, é iniciativa única em português no hobby . O segundo é um anseio que já tinha há já algum tempo. Um canal de Youtube. Durante anos queixei-me que não havia praticamente nada em termos de conteúdos em português sobre LEGO no Youtube. Assim decidi dar o meu contributo e avançar com um canal próprio. Confesso que este passo foi dado um pouco porque o meu amigo Pedro Felício decidiu ele próprio também avançar com um canal próprio, claro que sobre Jogos de Tabuleiro Moderno. Sinto sempre alguma inveja do pessoal dos jogos de tabuleiro quanto a isto, já que existem bastantes canais de Youtube com conteúdos em português, alguns deles bastante bons e que sigo religiosamente. É pena e até algo incompreensível que o mesmo não aconteça com o LEGO. Espero que este meu avanço contribua para o aparecimento de alguns canais deste meio de comunicação já bastante estabelecido.

Claro que o canal tem dado imenso trabalho. Apesar de academicamente ser da área de informática, sou completamente verde em multimédia. Mas lá fui aprendendo e neste momento já produzi 61 vídeos! Estes vídeos resumem-se a três tipos. Abrir e Montar, Analisar e Desconstruir. Os dois primeiros tipos são relacionados com os sets LEGO e de certa forma acompanham os meus tradicionais reviews. No último faço a explicação de alguns dos meus MOCs. Tenho mais outros tipos de vídeos na manga, mas ainda não tive tempo de os pôr em prática.

Mas por falar em reviews, acho que este ano exagerei já que fiz mais de 50. Adoro fazer reviews mas decididamente tenho que diminuir um pouco a cadência, já que afecta todo o meu hobby. Conto este ano baixar um pouco o ritmo.

A Peculiar Estalagem da D. Gertrudes 2

É que pretendo começar a ser mais regular na construção de MOCs. Este ano consegui colocar o meu stock de peças de LEGO mais ou menos organizado num espaço emprestado. Claro que não é o mesmo que estar em casa, mas pelo menos posso estar uma horitas por semana na organização das peças e fazer um ou outro MOC. Este ano apresentei oito construções originais, um verdadeiro feito tendo em conta o panorama dos anos anteriores. Claro que nenhuma delas de grande dimensão, mas todas deram-me imenso prazer em criar. Quero mesmo ver se em 2021 consigo ter um ritmo de pelo menos um MOC mensal. Aos oito MOCs deste ano devo somar todas as criações originais que fiz em contexto de trabalho, assim já posso dizer que foi um ano muito produtivo.

Mas o hobby não se limita apenas aos feitos individuais. Tenho estado regularmente na oficina da 0937 com o Venceslau Teixeira e com o Miguel Guerreiro. Por norma a terça à noite é reservada para estar com eles os dois a separar/organizar peças e até fazer uma ou outra construção. Boas alturas para por a conversa em dia, seja a partilhar novidades do mundo LEGO ou a discutir aquela técnica especial.

Devo falar também na minha participação no Arte em Peças deste ano que deu uma trabalheira descomunal. A ideia de passar a exposição para as montras da vila de Paredes de Coura resultou num efeito muito giro e envolvente. Um formato que penso que ainda pode crescer imenso.

Por fim devo referir que para mim o grande acontecimento LEGO deste ano foi a empresa ter criado a “marca” 18+. A cadência de sets para adultos além de ter aumentado em quantidade, aumentou também a variedade de tipos e mesmo a qualidade de técnicas utilizadas. Claro que muitos destes conjuntos não são propriamente para AFOLs, no entanto sinto que a comunidade não tem sido esquecida e que começam a ser tantos os conjuntos interessantes que é praticamente impossível tê-los todos.

Portanto a ver se para o ano a normalidade regresse e com isso que o hobby fique fortalecido.

Bom ano a todos!!

 

Ficam aqui o link para outros anos em revista: 2008, 2009, 2013, 2014, 2015, 2017 e 2019.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00

Várias reviews na calha

por baixinho, em 19.06.20

Tenho vários sets à espera de serem construídos para publicar as respectivas reviews aqui no blog. As pessoas que me seguem no Instagram sabem que comecei o Pirates of Barracuda Bay no início da semana passada.. e que ainda não o acabei. Ontem chegou a casa o Mickey e além desses tenho outros três conjuntos em fila de espera. Como agora filmo as montagens o processo de análise dos sets fica mais lento. Filmar a construção leva a que o processo fique um pouco mais demorado, depois ainda faço a edição do vídeo o que leva o seu tempo, principalmente em sets enormes como o do Barracuda. Enquanto faço a edição vou fazendo também o texto da review. Que agora até fica mais simples já que vários dos pontos tratados passam para o vídeo. Neste momento o texto e o vídeo das reviews são pensados para serem complementares e não independentes. Coisa que poderei mudar já que a experiência com o Pirates of Barracuda Bay está a resultar numa autêntica longa metragem.. se calhar no futuro vou fazer como alguns Youtubers e separar a montagem do review.

Portanto, a ver se este fim-de-semana consigo avançar bastante nesta tarefa para durante a a próxima semana saírem pelo menos uma boa parte das reviews que tenho que fazer.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 07:50

[MOC] Campo do Lugar II

por baixinho, em 28.05.20

Campo do Lugar II a

Há ano e meio atrás apresentei este MOC que representava um terreno recém adquirido. Agora que já estamos a construir tivemos a necessidade de ver como iria ficar o terreno (já que para a habitação temos outros meios) e para facilitar isso, construí este pequeno MOC com as mesmas medidas que o anterior. Apesar de não ser um meio perfeito como, por exemplo, uma maquete, assim já conseguimos ter uma ideia melhor do resultado do movimento de terras que irá envolver a habitação. Ahh, e da posição das árvores :)

Serviu também para perceber que o meu stock de bricks 2x4 não é lá muito grande :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:54

15 anos de Oficina dos Baixinhos

por baixinho, em 06.04.20

LegOficina 20200216a

Faz hoje 15 anos que eu e a Tânia começamos este blog. Trabalhamos juntos até meados de 2010, altura em que o blog ficou em pausa durante cerca de 3 anos. Em julho de 2013 voltei, desta vez sozinho (ok, vou tendo umas ajudas dos meus filhos, Leila e Artur). Em fevereiro de 2017 altero o nome original do blog (LegOficina dos Baixinhos) para o actual.

A LegOficina real também teve a sua história de mudanças mas podem ver como anda agora no post anterior :)

Agora é esperar um ano em que as coisas voltem rapidamente ao normal que por aqui na Oficina dos Baixinhos, tentarei manter a regularidade.

 

ps. Para efeitos de registo neste intervalo de tempo foram colocados 4131 posts e feitos 891 comentários (apenas aqui no blog, não contabilizo nas redes sociais).

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:00

LegOficina em tempos diferentes

por baixinho, em 06.04.20

LegOficina 20200405

A situação despoletada pelo COVID-19 alterou imenso o meu trabalho como relatei no post anterior.

Como tive que começar a criar modelos em casa, tive que criar um pequeno stock de peças. Como a casa onde vivo não é muito grande, o stock não poderia ser muito grande. Como não tive disponibilidade e tempo para fazer um apanhado de parte das peças que a Caixa de Brinquedos possui, a solução foi pegar em duas grandes caixa de peças soltas provenientes de vários sets que analisei nos últimos tempos. Depois de separar e organizar mais ou menos as peças por tipo (tarefa que levou vários dias e em que ainda não sinto que esteja concretizada) entre caixas que trouxe do trabalho e caixas de sets, posso dizer que tenho as condições mínimas de trabalho.

Claro que é uma tarefa árdua procurar peças entre tantas diferentes para depois descobrir que a sortido disponível é desequilibrado faltando coisas tão comuns e básicas como bricks round 1x1 em preto. Mas nada que tire o ânimo e com uma certa dose de improvisação, as coisas vão-se fazendo.

Claro que o chato é que a mesa é necessária para outras coisas, logo sempre que vou mexer nas peças LEGO tenho que montar todo este aparato para no fim ter que desmontar e guardar...

De qualquer forma, ontem comecei a trabalhar num novo WIP que podem ver na minha conta de Instagram.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Toilet Paper Man

por baixinho, em 15.03.20

Toilet Paper Man

Apesar de normalmente evitar introduzir elementos da vida real nos assuntos do blog, é praticamente inevitável não abordar a presente pandemia.

É o caso desta construção do Gregory Coquelz que de forma bem mordaz representa uma das atitudes tomadas por alguns (muitos?).

Em termos de actividade aqui no blog, vou tentar manter tudo normal. O hobby LEGO tem tudo para não ser especialmente afectado por estes acontecimentos e até, por um lado, fomentar a actividade.

Aproveitem o tempo e construam e reconstruam os sets que tem lá por casa, criem MOCs e façam experiências de construção, arrumem e organizem as peças da vossa oficina/escritório, partilhem online os vossos feitos e comentem os que os andam a fazer com as peças LEGO.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 09:38

Pequenas alterações aqui no Blog

por baixinho, em 02.03.20

De vez em quando tenho que fazer umas pequenas actualizações aqui no blog e ontem aproveitei e actualizei os menus.

A primeira foi a criação de um índice para as minhas reviews. Assim é muito mais simples chegar a cada uma das minhas mais de 150 reviews que tenho aqui no meu blog. Antes tinha apenas um link para a tag review o que por vezes não era facilitador para chegar às reviews mais antigas. Sim, neste momento o índice não está completo, mas é uma questão de dias até ter as minhas reviews todas indexadas.

Tenho que pensar em fazer o mesmo para os MOCs.

A segunda alteração foi a substituição da Quinta-Feira das Actualidades, secção que nunca consegui dar o dinamismo que pensei no início da rúbrica, pela secção Novidades Oficiais, que não é mais um link para a tag Press Release onde por norma coloco as comunicações que a LEGO vai enviando.

A terceira alteração foi a inclusão de um link para a tag Opinião. De vez em quando gosto de mandar as minhas postas de pescada sobre o mundo LEGO, este link se calhar serve mais para o fazer mais vezes :)

A quarta alteração é, à semelhança da anterior, a inclusão de uma nova secção na esperança que eu próprio comece a produzir mais textos do género. Tops relacionados com LEGO.

Po fim actualizei o post Sobre Mim já que nos últimos anos houveram algumas alterações importantes na minha vida e no meu relacionamento com as peças LEGO.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:52

Ensacados

por baixinho, em 24.01.20

Estas duas imagens que coloquei no Instagram na semana passada são várias peças que ensaquei para serem guardadas até ter uma LegOficina. Basicamente estão aqui vários sets que analisei nos últimos tempo, fora alguns que ofereci e um ou dois que ficou para o Artur.

Tenho andado algo ausente da conta do Instagram da Oficina dos Baixinhos. A ver se começo a ganhar novamente algum ritmo e a colocar mais fotos do que vou fazendo com LEGO.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

4000 posts!

por baixinho, em 21.01.20

Oficina dos Baixinhos - logo

Quatro mil posts!

Chego a esta bonita marca a uns parcos meses do blog fazer 15 anos! Claro que esta marca tem muito que ver com o maior ritmo de posts nos últimos anos. Como construo menos por não ter uma LegOficina em casa, vou perdendo-me com MOCs de outras pessoas no Flickr e passando para aqui essa minha admiração pelo talento dos outros! :)

Fica aqui o link para o post 3000 que contém links para outras marcas interessantes aqui do blog

E como sempre, Leg Godt!

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:00

Sobre Mim

por baixinho, em 01.01.20

O meu nome é Luís Viriato Baixinho da Silva mas por motivos óbvios sempre fui conhecido por apenas Luís Baixinho. Nasci em Moçambique há quarenta e muitos anos e vivi desde muito novo e até há bem pouco tempo em Vila Praia de Âncora, uma pequena vila no litoral norte de Portugal. Neste momento vivo em Infesta, uma pequena freguesia do concelho de Paredes de Coura, onde trabalho. Tenho dois lindos filhos com os quais adoro brincar e, também, partilhar de alguma forma este hobby.

Academicamente estou ligado às TIC. Fui professor dessa área durante vários anos onde leccionei várias disciplinas em todos os graus do ensino obrigatório (desde o primeiro ciclo até ao secundário). Quem é professor na área sabe bem a multiplicidade que as várias matérias proporcionam o que obriga a uma constante atualização de conhecimentos. Neste momento como já não lecciono, vou mantendo-me minimamente informado das novidades que vão aparecendo.

O meu tempo disponível não é todo investido no hobby LEGO. Gosto de ficção científica na forma de literatura, banda desenhada, cinema e séries de TV. Gosto de fazer umas boas caminhadas, principalmente se rodeadas de natureza e se houver uma geocache para fazer no fim, melhor. Gosto de dar umas voltas de auto-caravana visitando locais sejam ligados à natureza ou à cultura humana, visitas que vou intercalando por alturas dedicadas simplesmente ao descanso. Gosto de ouvir música, sem seguir um estilo em especial. Por norma o momento e o estado de espírito decidem a banda sonora do dia. Apesar de gostar de ter os meus momentos a sós, gosto também de conviver e ter a oportunidade de ter boas e longas conversas. Jogava também muito no computador, principalmente jogos de estratégia tipo o Civilization. Nos últimos anos deixei de o fazer para dedicar esse tempo apenas aos jogos de tabuleiro moderno. Não consigo recusar uma sessão de jogo de tabuleiro seja de algo mais complexo como o Terraforming Mars, algo mais simples como o Carcassonne ou até alguns mais para o divertido como o Dixit Odissey.

Quanto ao LEGO, brinquei imenso quando criança e por ter poucos conjuntos, fartei-me de fazer construções minhas (MOCs). Ora eram baseadas em algo que vi, ora eram coisas originais e muitas vezes serviam de base (pontes, aviões, edifícios, etc) para outros brinquedos. Como é vulgar, deixei de brincar com peças LEGO na adolescência, mas mantive o interesse em pelo menos ir espreitando os catálogos. Foi aí que em 1999 descobri que a LEGO iria lançar conjuntos Star Wars. Comecei então a comprar conjuntos LEGO outra vez, no início no intuito de coleccionar e construir algumas coisas originais. Mas aos poucos foquei o hobby na segunda faceta.

Em 2001 fundei, em conjunto com o Pedro “El Gordo” Silva e com o José “ups” Sá, a PLUG que abandonei em 2006. Em 2005 criei este blog em conjunto com a Tânia, que participou activamente até 2010. Também em 2005 fui nomeado como LEGO Ambassador para o segundo ciclo e no semestre seguinte (já em 2006) para o terceiro ciclo. Em 2006 fundei o Fórum 0937 com o Pedro e com a Tânia que daria mais tarde origem à Comunidade 0937

Neste hobby já fiz imensas coisas. Tantas que acho impossível recordar tudo. Coleccionei, construí em diversos temas e estilos, ajudei a organizar eventos, escrevi artigos para revistas, criei programas informáticos, dinamizei workshops, organizei concursos, visitei e participei em eventos noutros países, participei em concursos nacionais e internacionais (cheguei a vencer alguns), participei em projectos secretos da LEGO, dei entrevista em rádios, jornais e na televisão, fui LEGO Ambassador, administrei e moderei fóruns e páginas, utilizei peças LEGO na sala de aula, etc.

Tantas coisas que neste momento as peças LEGO são parte integrante do meu trabalho. Desde Novembro de 2018 sou o coordenador da Caixa de Brinquedos em Paredes de Coura.

Este é um espaço que é de certa forma uma consequência dos eventos que a Comunidade 0937 realizou e realiza na vila de Paredes de Coura. Aberto durante todo o ano, tem duas grandes valências, a lúdica e a pedagógica, que se misturam graças às peças LEGO. Sendo assim, entre muitas outras tarefas, idealizo, executo e faço a manutenção de atividades para o público em geral como também preparo atividades para grupos escolares onde posso ou não incluir conteúdos programáticos de várias disciplinas.

No fundo penso que as peças LEGO vão sempre acompanhar-me, exactamente como gostar de ler Ficção Científica e ouvir Pink Floyd.

(versão original deste post aqui)

Recognized-LFM_cmyk_Black_V_2019.png

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:18

2019, um ano LEGO em revista

por baixinho, em 31.12.19

Arte em Peças 2019 | Paredes de Coura | Montagem

Fazer um resumo do ano que está a terminar é sempre um exercício interessante. A memória não é nada linear e alguns acontecimentos surgem mais vivos que outros. Já cheguei à conclusão que não é a importância que os classifica mas muitas vezes a conjunção de várias pequenas características e sensações que fazem com que esses acontecimentos sejam mais facilmente recordados que outros.

Isto apenas para dizer que sim, nesta pequena revisão do ano inadvertidamente vou esquecer-me de relatar algumas coisas, outras até propositadamente. O ano foi tão intenso em LEGO que seria impossível escrever sobre tudo.

Primeiro a minha ligação à Caixa de Brinquedos em Paredes de Coura(1) torna o LEGO presente em praticamente tudo o que faço profissionalmente. Pode parecer chato tornar o nosso hobby numa profissão, mas na verdade não é bem assim. As minhas funções são bem diferentes do que eu faço no hobby, a parte comum é apenas a ferramenta, neste caso as peças LEGO. Sinto-me muitas vezes mais próximo da minha antiga profissão (professor) do que a posição de um designer instalado nas terras Danesas.

Há um encanto próprio nessas funções. Neste ano a minha percepção do que é um brinquedo de construção evoluiu imenso. Observar a forma como as crianças e até adultos interagem com as peças LEGO fez-me descobrir algumas particularidades deste brinquedo. Algumas já suspeitava, outras foram uma descoberta. Isso fez-me evoluir principalmente profissionalmente já que, por exemplo, alterei bastante a forma como preparo os workshops, como planeio novas actividades e até como converso com as crianças e/ou adultos quando lhes explico algo relacionado com as peças LEGO.

A versatilidade das peças LEGO tem uma potencialidade enorme a nível lúdico/pedagógico mas cada vez fico mais deslumbrado com a força da primeira parte desta equação. As peças LEGO são, acima de tudo, um brinquedo, um brinquedo de construção. Perder a noção disso é simplesmente esquecer a sua função primordial e a base de todo este fenómeno. Tudo o resto são efeitos secundários do brinquedo em si.

Arte em Peças 2019 | Paredes de Coura | Montagem

Chegar a estas conclusões serve de ligação ao segundo ponto desta revista.

A LEGO mais uma vez apresentou lucros, mais uma vez assinalou um qualquer aniversário e mais uma vez afirmou que está na crista da onda devido a isto ou aquilo. Mas também está cada vez mais longe de uma das premissas que a salvou da falência há década e meia atrás. O back to the basics.

Sim, continuam a serem lançados conjuntos que são LEGO de uma ponta à outra. Mas são cada vez mais os conjuntos que, pessoalmente, não os consigo ver como um brinquedo de construção.

Sim, isto não é de agora. A aposta da LEGO na jogabilidade, no coleccionismo(2), nas luzes da ribalta que brilham em alguns temas licenciados e noutras coisas que não são de todo essenciais no brinquedo de construção, vem crescendo ao longo das últimas décadas.

No entanto foi durante este ano que senti que estamos a chegar a uma espécie de ponto de não retorno. A descaracterização da LEGO como brinquedo de construção já começa a ser tão grande que está a criar um espaço vazio na oferta de conjuntos com características que antes víamos apenas na marca.

Sim, no futuro esse espaço vai ser tão aliciante que acabará por ser ocupado.

Sim, eu sei que a LEGO continua a ser cada vez mais popular, que se ignorarmos alguns temas continua a lançar sets(3) cada vez maiores e impressionantes e que, acima de tudo, continua a ter lucros. Provavelmente é esse último factor que a faz trilhar os caminhos que me assustam.

No entanto a LEGO não se esquece dos AFOLs e a compra do Bricklink é provavelmente a maior prova disso mesmo. Muito se especula das reais intenções e de como isso vai afectar todo ecossistema deste hobby. As variáveis são tantas que neste momento desisti de qualquer futurologia e apenas vou estando atento conforme os efeitos vão surgindo.

Mas deixando de lado estas macro considerações sobre o hobby e mergulhando nas micro considerações, o meu filho está cada vez mais perito com peças LEGO. A facilidade com que interpreta as instruções e a destreza para criar algumas formas com as peças LEGO fazem com que o olhe com bastante orgulho. Claro que também adora as minifigs (principalmente as de super-heróis) e claro que também devora episódios NinjaGo no Netflix. Mas penso que estas divagações ainda estão dentro dos limites do controlável :D

Pessoalmente continuo sem LegOficina em casa. Isso faz com que o hobby esteja numa espécie de letargia onde aqui o blog é que vai aguentando as pontas. O blog que continua a incidir principalmente em destaques de construções alheias, algo que não era de todo o objectivo principal. No entanto também é verdade que na impossibilidade de andar a brincar com as peças LEGO faz com que invista mais tempo vendo o que os AFOLs vão fazendo, principalmente através do Flickr.

Claro que vou construindo e analisando sets e estando atento às evoluções do fenómeno AFOL, mas vinte anos de hobby fazem com que muitas vezes desvalorize muitos dos acontecimentos.

Talvez por isso não esteja tão expectante quanto ao novo ano quanto ao hobby LEGO. Com certeza que, fruto da minha profissão, afinarei mais a minha visão do brinquedo de construção LEGO, com certeza que ainda estarei à espera da minha LegOficina e com certeza que continuarei com destaques, reviews e algumas divagações pontuais aqui no blog.

 

Ficam aqui o link para outros anos em revista: 2008, 2009, 2013, 2014, 2015 e 2017.

As imagens foram retiradas desta galeria do Ricardo "Biczzz" Prates com fotografias da montagem décima edição do Arte em Peças em Paredes de Coura.

 

(1) Podem seguir algumas da actividades da Caixa de Brinquedos através do Instagram: https://www.instagram.com/caixadebrinquedos_pdc/

(2) Segundo o Brickset este ano a LEGO lançou mais novas minifigs (843) que sets (792)!! Então, é um brinquedo de construção ou de action-figures?

(3) Como é hábito, daqui a uns dias devo escrever um post com os melhores sets e peças do ano.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:28

Hoje é dia de eleições legislativas!

por baixinho, em 06.10.19

In line to exercise their democratic rights as Stormtroopers (159:365:2017)

Hoje é dia de eleições legislativas, portanto não se esqueçam de exercer o vosso direito de votar!

Fotografia de Lost Star.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:09

Granulado

por baixinho, em 08.07.19

ABS

Para quem não sabe, isto é granulado de ABS já colorido. Durante umas arrumações dei com um pequeno zip-lock da LEGO com o granulado, uma oferta numa das sessões de trabalho que fiz para o LEGO Universe.

Já cheguei a utilizar um pouco neste MOC. A ver se o faço novamente, pelo menos ideias não faltam para isso :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 08:00

Paredes de Coura Fan Weekend 2019

por baixinho, em 17.06.19

Como sempre o Paredes de Coura Fan Weekend foi intenso e faz com que o pessoal leve sempre algum tempo a recuperar. São quatro dias (para mim foram bem mais) onde a quantidade de pessoas, MOCs e actividades fazem com que se chegue ao fim e muita coisa fique misturada na memória numa amálgama de acontecimentos.

No entanto há sempre alguma coisa que fica na memória de forma distinta. Portanto deixo aqui algumas marcantes mesmo sabendo que provavelmente ocorreram outras até mais interessantes.

The Rambling Brick - Richard Jones é um australiano que participou nesta edição do Paredes de Coura Fan Weekend que possui um blog deveras interessante, o The Rambling Brick. Do pouco contacto que tive com ele, pareceu-me uma pessoa bastante conhecedora e ponderada do fenónemo AFOL. Já conhecia o blog, mas agora fico com vontade de o seguir mais atentamente. 

Q&A com o Kim Thomsen - A habitual sessão de perguntas e respostas com um funcionário da LEGO teve desta vez uma pequena diferença, o Kim começou por fazer uma simpática apresentação. Confesso que vários dos assuntos tratados não são propriamente do meu interesse, no entanto fiquei agradado por ficar a saber mais daqueles que me interessam. Pessoalmente considero este momento um dos pontos altos do evento para qualquer AFOL que se preze. Também com Kim estive na reunião da LAN e no meio de tanta coisa acho que tenho recordações que não consigo identificar se foram no Q&A ou na reunião da LAN. :)

Dinossauros - Os bichos jurássicos da Jessica Farrell são daquelas séries de MOCs que enchem o olho a qualquer pessoa. Primeiro porque satisfazem os menos conhecedores pegando num tema sempre na moda e levando-o ao limite na representação de todos os personagens mais conhecidos . Segundo porque satisfaz também os mais conhecedores na aplicação das mais variadas técnicas de construção com resultados de extrema excelência tanto no landscaping como na representação de formas orgânicas.

Galibricks - O grupo dos nossos vizinhos Galegos está cada vez maior e mais divertido. Começaram a aparecer na segunda edição do Fan Weekend e cada vez são mais. A forma entusiástica como participam no evento faz lembrar-me dos primeiros tempos da Comunidade 0937. A qualidade das suas construções também estão a evoluir. Sim, eu sei que algumas delas são inspiradas/baseadas em outros MOCs, mas penso que não haja grande mal se isso for assumido e dado os devidos créditos aos construtores originais. Para terminar fica aqui um vídeo do YouTube* da Galibricks sobre o evento!

* Decididamente é algo que faz mesmo falta no panorama nacional.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:00

Adeus

por baixinho, em 16.05.19

LegOficina 20190516

Este foi o espaço que acompanhou o meu hobby LEGO desde 2005. Aqui muito construí, arrumei, organizei, escrevi, trabalhei, etc. Resta esperar uns dois anos para ter um espaço semelhante. Semelhante não, melhor. Já que está a ser pensado de raiz e já com algumas alterações em mente a pensar nas falhas do anterior.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:53

[MOC] Campo do Lugar

por baixinho, em 07.01.19

Campo do Lugar

Este MOC foi a minha pequena prenda de Natal para a Ana e representa um terreno que comprámos há uns meses atrás. Assim além de termos uma melhor noção do espaço que temos, podemos imaginar melhor a casa que pretendemos construir no local. Utilizei peças básicas já que a ideia é poder modificá-lo no futuro para reflectir o que irá acontecer no próprio terreno.

Sim, o levantamento topográfico foi uma grande ajuda :)

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 13:30

O terrível dilema de um AFOL

por baixinho, em 13.12.18

LEGO Room, updated

Esta fotografia da LegOficina do David Guedes além de mostrar uma boa panorâmica de como pode ser um espaço de um AFOL (segundo alguns, coleccionadores LEGO não são propriamente AFOLs...) pode também ser interpretada de várias formas:

"Mas onde raios guardei aquela peça?"

"Bem, quero construir qualquer coisa, não sei bem o quê. Começo por onde?"

"Tenho que mudar de casa. Agora o que faço a isto?"

"Como é que digo à minha mulher que preciso de um espaço maior?"

"A LEGO lançou três peças novas muito interessantes, onde as posso guardar?"

e por aí a fora :)

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 19:06


Mais sobre mim

foto do autor


Pesquisar

Pesquisar no Blog


subscrever feeds